Temer se encontra com Aécio no jantar dos mais rejeitados do País

Com receio de perder votos do PSDB em favor da abertura da investigação de corrupção passiva contra ele na Câmara, Michel Temer convidou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) para um jantar no Palácio do Jaburu na noite desse sábado, 29; junto com o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), que cumpre pena de 15 anos de prisão em Curitiba por corrupção, Aécio e Temer formam a trinca do golpe parlamentar de 2016 que ostenta a maior rejeição da população brasileira; também convidado para o jantar, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, não compareceu

Com receio de perder votos do PSDB em favor da abertura da investigação de corrupção passiva contra ele na Câmara, Michel Temer convidou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) para um jantar no Palácio do Jaburu na noite desse sábado, 29; junto com o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), que cumpre pena de 15 anos de prisão em Curitiba por corrupção, Aécio e Temer formam a trinca do golpe parlamentar de 2016 que ostenta a maior rejeição da população brasileira; também convidado para o jantar, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, não compareceu
Com receio de perder votos do PSDB em favor da abertura da investigação de corrupção passiva contra ele na Câmara, Michel Temer convidou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) para um jantar no Palácio do Jaburu na noite desse sábado, 29; junto com o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), que cumpre pena de 15 anos de prisão em Curitiba por corrupção, Aécio e Temer formam a trinca do golpe parlamentar de 2016 que ostenta a maior rejeição da população brasileira; também convidado para o jantar, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, não compareceu (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Com receio de perder votos do PSDB em favor da abertura da investigação de corrupção passiva contra ele na Câmara, Michel Temer convidou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) para um jantar no Palácio do Jaburu na noite desse sábado, 29,. 

Junto com o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), que cumpre pena de 15 anos de prisão em Curitiba por corrupção, Aécio e Temer formam a trinca do golpe parlamentar de 2016 que ostenta a maior rejeição da população brasileira (leia mais). 

Segundo a jornalista Andréia Sadi, do G1, o jantar foi um gesto de Temer para "afagar" Aécio e apoiar, nas palavras de um aliado do peemedebista, a "retomada do protagonismo" do senador à frente do grupo de tucanos que defende o governo. Aécio, delatado por Joesley Batista, enfrenta resistência e pressão no PSDB para deixar definitivamente o comando do partido. Ele está afastado da presidência da legenda desde que a delação da JBS, envolvendo-o, veio à tona.

Temer convidou para o encontro o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Como está marcada para a próxima 4ª (2.ago), na Câmara, a votação do pedido de abertura do processo contra o presidente da República, Maia preferiu não comparecer.

Também foram chamados os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral), Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Bruno Araujo (Cidades). Estes compareceram.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247