Antes de sair da presidência do STF, Toffoli mandou arquivar inquéritos da delação de Sérgio Cabral

Antes de sair da Presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Dias Toffoli arquivou os 12 inquéritos abertos no Supremo a partir da delação premiada do ex-governador Sérgio Cabral, assinada com a Polícia Federal

Sérgio Cabral
Sérgio Cabral (Foto: Valter Campanato - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente do STF, Ministro Dias Toffoli, atendeu a um pedido de Augusto Aras, Procurador-Geral da República, e arquivou os inquéritos associados às delações de Sérgio Cabral, homologadas por Edson Fachin. Na prática, a ação significa que nenhuma autoridade com foro privilegiado no STF poderá ser alvo de punições provenientes das acusações do ex-governador.

A reportagem do jornal O Globo destaca que “Toffoli contrariou decisão proferida pelo ministro Edson Fachin, que homologou a delação de Cabral e havia autorizado a abertura desses doze inquéritos. Fachin enviou os inquéritos para a Presidência do STF definir um novo relator por sorteio, mas Toffoli então pediu uma manifestação do procurador-geral da República Augusto Aras a respeito desses inquéritos.”

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email