UnB afirma que vai apurar ato de intolerância

Universidade de Brasília repudiou o protesto organizado por grupo que proferiu ofensas contra estudantes na instituição na noite de sexta-feira; os manifestantes foram homofóbicos, e soltaram gritos em defesa de Bolsonaro, contra a política de cotas e chamou estudantes de "comunistas vagabundos"; "A reitoria da Universidade de Brasília reitera a postura de respeito ao direito à diversidade nos seus quatro campi e repudia qualquer ato de intolerância e de agressão", informou a instituição, em nota; governador Rodrigo Rollemberg determinou à Polícia Civil que investigue com "atenção especial" as ofensas contra estudantes; militante que convocou ato nas redes virou alvo de ação no MP

Universidade de Brasília repudiou o protesto organizado por grupo que proferiu ofensas contra estudantes na instituição na noite de sexta-feira; os manifestantes foram homofóbicos, e soltaram gritos em defesa de Bolsonaro, contra a política de cotas e chamou estudantes de "comunistas vagabundos"; "A reitoria da Universidade de Brasília reitera a postura de respeito ao direito à diversidade nos seus quatro campi e repudia qualquer ato de intolerância e de agressão", informou a instituição, em nota; governador Rodrigo Rollemberg determinou à Polícia Civil que investigue com "atenção especial" as ofensas contra estudantes; militante que convocou ato nas redes virou alvo de ação no MP
Universidade de Brasília repudiou o protesto organizado por grupo que proferiu ofensas contra estudantes na instituição na noite de sexta-feira; os manifestantes foram homofóbicos, e soltaram gritos em defesa de Bolsonaro, contra a política de cotas e chamou estudantes de "comunistas vagabundos"; "A reitoria da Universidade de Brasília reitera a postura de respeito ao direito à diversidade nos seus quatro campi e repudia qualquer ato de intolerância e de agressão", informou a instituição, em nota; governador Rodrigo Rollemberg determinou à Polícia Civil que investigue com "atenção especial" as ofensas contra estudantes; militante que convocou ato nas redes virou alvo de ação no MP (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - A Universidade de Brasília (UnB) repudiou nesta segunda-feira (20) o protesto organizado por um grupo de 15 pessoas que proferiu ofensas contra estudantes no campus da instituição. Os manifestantes usavam expressões homofóbicas e se diziam contra a política de cotas e a favor do deputado Jair Bolsanaro (PP-RJ) e do juiz Sérgio Moro. O episódio ocorreu na noite de sexta-feira (17).

"A reitoria da Universidade de Brasília reitera a postura de respeito ao direito à diversidade nos seus quatro campi e repudia qualquer ato de intolerância e de agressão", informou a instituição, em nota. "As ocorrências de natureza agressiva e intolerantes são devidamente apuradas e, quando se trata de ações que extrapolam a alçada administrativa da Universidade, os órgãos competentes são acionados".

De acordo com a reitoria, a segurança do campus foi acionada no dia e conseguiu retirar o grupo do campus sem o uso de força ou violência.

O governador Rodrigo Rollemberg determinou à Polícia Civil que investigue com "atenção especial" as ofensas contra estudantes. "Nosso governo está em sintonia com a sociedade de Brasília, que não aceita atos de intolerância", afirmou o governador ao G1, por meio de sua assessoria.

A polícia tinha aberto investigação após dois alunos procurarem a 2ª DP (Asa Norte) para denunciar o caso. Eles informaram que foram alvos de xingamentos e discursos ofensivos. Também disseram que foram ameaçados de agressão e que foram perseguidos por um motociclista quando tentaram fugir. Não se sabe se os manifestantes eram alunos da UnB.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247