Urgente: PF cumpre mandados autorizados por Fachin

A Polícia Federal deflagrou operação na manhã desta terça-feira (10); mandados de busca e apreensão foram autorizados pelo ministro Edson Fachin, relator dos processos da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal; estão sendo cumpridos oito mandados de busca e apreensão em São Paulo, Goiânia e Fortaleza; operação, batizada de Tira-teima, tem como alvos pessoas ligadas ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e foi deflagrada a partir da delação do ex-diretor de relações institucionais da Hypermarcas e delator da Lava Jato Nelson Melo 

fachin
fachin (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Federal deflagrou operação na manhã desta terça-feira (10). Os mandados de busca e apreensão foram autorizados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator dos processos da Lava Jato na Corte Edson Fachin. Não há ordem de prisão.

Segundo a PF, cerca de 40 agentes estão cumprido oito mandados de busca e apreensão em São Paulo, Goiânia e Fortaleza. Operação, batizada de Tira-teima, tem como objetivo investigar "pagamentos de vantagens indevidas, por parte de um grupo empresarial a políticos, para obter benefícios em medidas de interesse do grupo econômico", de acordo com a PF.

A operação foi deflagrada a partir da delação do ex-diretor de relações institucionais da Hypermarcas e delator da Lava Jato Nelson Melo que afirmou, em seu depoimento, ter repassado cerca de R$ 5 milhões à campanha pelo governo do Ceará do atual presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), mediante o uso de contratos fictícios, em 2014. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247