Ativismo político e ideológico ilegal, diz Florence sobre conduta de Moro

"Com seu ativismo político e ideológico ilegal e suposição de impunidade, Moro mandou vazar informações sigilosas para oposição venezuelana, com intuito de desestabilizar o regime do país vizinho", afirmou o deputado Afonso Florence (PT-BA)

(Foto: Michel Jesus - Câmara)

247 - O deputado federal Afonso Florence (PT-BA) repudiou a tentativa de interferência na Venezuela pela Operação Lava Jato. 

"Com seu ativismo político e ideológico ilegal e suposição de impunidade, Moro mandou vazar informações sigilosas para oposição venezuelana, com intuito de desestabilizar o regime do país vizinho", escreveu o parlamentar no Twitter.

De acordo com nova revelação do Intercept Brasil, em parceria com o jornal Folha de S.Paulo, quando era juiz, Sérgio Moro sugeriu ao procurador Deltan Dallagnol o vazamento de dados sobre pagamentos da Odebrecht na Venezuela. A finalidade seria desestabilizar o governo do presidente Nicolás Maduro.

Em conversa pelo Telegram, datada de agosto de 2017, Moro escreve: "Talvez seja o caso de tornar pública a delação dá Odebrecht sobre propinas na Venezuela. Isso está aqui ou na PGR?”.

Dallagnol respondeu: "Naõ dá para tornar público simplesmente porque violaria acordo, mas dá pra enviar informação espontãnea [à Venezuela] e isso torna provável que em algum lugar no caminho alguém possa tornar público".

Procuradores discutiram o tema. "Vejam que uma guerra civil lá é possível e qq ação nossa pode levar a mais convulsão social e mais mortes", ponderou o procurador Paulo Galvão. 

Dallagnol tentou amenizar o temor dos colegas. “PG, quanto ao risco, é algo que cabe aos cidadãos venezuelanos ponderarem. Eles têm o direito de se insurgir.”

Confira um trecho da conversa do procurador no grupo do Telegram "Filhos de Januario 2"

14:48:25 Deltan - Temos os fatos cíveis e compartilhamos para fins criminais. Não vejo como uma questão de efetividade, mas simbólica. Como Maluf ter ordem de prisão em NY e condenação na França. Não vejo problema de soberania. E há justificativa para fazer qto à Venezuela e não outros pq destituiu a procuradora geral e é ditadura

14:50:42 Deltan - O propósito de priorizar seria contribuir com a luta de um povo contra a injustiça, revelando fatos e mostrando que se não há responsabilização lá é pq lá há repressão. Qto a travar a possibilidade de processamento lá, podemos fazer só em relação a parte dos fatos, o que resolveria o problema.

Conheça a TV 247

Mais de Nordeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247