Bolsonaro homenageia torturador Ustra e deputado rebate

Após Bolsonaro considerar o torturador Ustra o chamando de "herói nacional", o deputado federal Márcio Jerry rebateu a fala do presidente e relembrou as declarações preconceituosas de Bolsonaro com o povo nordestino

Jair Bolsonaro chama torturador Ustra de "herói nacional"
Jair Bolsonaro chama torturador Ustra de "herói nacional"

247 - O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) utilizou a tribuna da Câmara dos Deputados, na tarde desta quinta-feira (8), para criticar o presidente Jair Bolsonaro (PSL), que chamou de ‘herói nacional’ o torturador da ditadura Carlos Ustra, durante a visita de sua viúva ao Palácio do Planalto.

“É importante que fiquemos atentos para essa escalada do fascismo que está acontecendo no país, infelizmente liderada por aquele que deveria ter a maior responsabilidade pela preservação das instituições, da democracia e das leis, o presidente da República”, disse Jerry.

O deputado afirmou também que Bolsonaro segue na contramão da civilização e do avanço democrático ao tomar atitudes como homenagear a ditadura militar ou de dirigir-se ao povo com palavras inadequadas para o cargo que ocupa. “O presidente se dirige de maneira depreciativa, preconceituosa, discriminatória e racista a nós nordestinos, e não conformado com isso extrapola os limites constitucionais de sua função ameaçando estados do Nordeste e governadores, ações absolutamente inaceitáveis. Portando, um presidente que não entendeu a dimensão de seu cargo”, completou Jerry.

Em 2008, Ustra tornou-se o primeiro oficial brasileiro condenado na Justiça por sequestro e tortura durante o regime militar. Ele comandou o Destacamento de Operações de Informações (DOI-CODI), do 2º Exército (SP) de 1970 a 1974, no auge da repressão às organizações da esquerda. Segundo o relatório final da Comissão Nacional da Verdade, durante a gestão de Ustra o DOI de São Paulo foi o responsável pela tortura e morte de mais de 500 pessoas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247