Cafeteira rebate acusações contra Flávio Dino

Líder do governo na Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado Rogério Cafeteira (PSB) subiu ao plenário nesta terça-feira 18 para rebater uma por uma as acusações contra o governador Flávio Dino (PCdoB) no âmbito da Lava Jato; "No projeto não existe nada de errado, deputado Adriano. Ninguém recebeu dinheiro, deputado", disse ele em resposta ao discurso de Edilázio Júnior (PV), sobre a acusação de um delator da Odebrecht de que Flávio Dino teria recebido aporte da empreiteira em sua campanha de 2010 em troca de apoio do então deputado a um projeto de interesse da empresa

Líder do governo na Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado Rogério Cafeteira (PSB) subiu ao plenário nesta terça-feira 18 para rebater uma por uma as acusações contra o governador Flávio Dino (PCdoB) no âmbito da Lava Jato; "No projeto não existe nada de errado, deputado Adriano. Ninguém recebeu dinheiro, deputado", disse ele em resposta ao discurso de Edilázio Júnior (PV), sobre a acusação de um delator da Odebrecht de que Flávio Dino teria recebido aporte da empreiteira em sua campanha de 2010 em troca de apoio do então deputado a um projeto de interesse da empresa
Líder do governo na Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado Rogério Cafeteira (PSB) subiu ao plenário nesta terça-feira 18 para rebater uma por uma as acusações contra o governador Flávio Dino (PCdoB) no âmbito da Lava Jato; "No projeto não existe nada de errado, deputado Adriano. Ninguém recebeu dinheiro, deputado", disse ele em resposta ao discurso de Edilázio Júnior (PV), sobre a acusação de um delator da Odebrecht de que Flávio Dino teria recebido aporte da empreiteira em sua campanha de 2010 em troca de apoio do então deputado a um projeto de interesse da empresa (Foto: Gisele Federicce)

Por Ricardo Fonseca, do blog Propagando - Após os discursos acalorados do deputado Edilázio Júnior (PV), do aparte do deputado Eduardo Braide e, por fim, das palavras ácidas da deputada Andréia Murad, que foram proferidas na manhã desta terça-feira (18), o líder do governo na Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Rogério Cafeteira (PSB), subiu ao plenário para rebater uma por uma as acusações contra o governador Flávio Dino (PCdoB).

"Ele, que até ontem era o arauto da moralidade do nosso Maranhão, que já era uma decepção como gestor e como político, agora é uma grande decepção com relação à moral. Porque o que ocorreu com relação à Odebrecht, não se trata de 'Caixa 2', se trata de propina", disse o dep. Edilázio Júnior.

O dep. Rogério Cafeteira (PSB) disse em seu discurso: "deputado Edilázio, V. Ex.ª estava fora na outra semana, então eu queria aproveitar a oportunidade para, rapidamente, fazer uma colocação primeiramente sobre o projeto que é colocado hoje em um contexto no qual o ex-deputado Flávio Dino teria favorecido a Odebrecht ou teria se comprometido a fazer um Lobby pela Odebrecht. Veja bem, isso era um projeto, deputado Edilázio, que traria segurança jurídica para a Odebrecht. Em que sentido? Empresas americanas que trabalhavam em Cuba, à época, estavam sujeitas a penalidades, e a Odebrecht e outras brasileiras estavam lá, mas principalmente a Odebrecht estava com receio de que pudesse sofrer uma condenação, deputado Edilázio, nos Estados Unidos, e essa condenação seria executada no País. Esse projeto foi apresentado por mais de 30 deputados, foi subscrito por mais de 30 deputados de todos os partidos, inclusive pelo deputado aqui do Maranhão, um dos que subscreveram o projeto foi o deputado Sarney Filho. No projeto não existe nada de errado, deputado Adriano. Ninguém recebeu dinheiro, deputado".

"Eu estava comparando as situações e vejo o descontrole emocional que ficou o governador Flávio Dino com isso. Ninguém ficou imune aos seus ataques. Atacou o delator, criticou a Lava Jato, vociferou via redes sociais, atacou a justiça. Eu vi as reações de outros governadores e não vi por exemplo, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, descontrolado, falando de ninguém. O governador Geraldo Alckmin emitiu uma nota e muito calmamente disse que a justiça vai provar a inocência dele. Contrário a Alckmin, o governador Flávio Dino só demonstra o seu total desequilíbrio porque nunca imaginou que fossem descobrir o propineiro que ele é", disse a deputada Andrea Murad.

Cafeteira (PSB) rebateu: "Foi designado o Deputado Flávio Dino como relator, esse relatório, Deputado Edilázio, nunca foi feito e diferente do que quiseram colocar, o ex-deputado Flávio Dino diz que iria indicar o próximo relator. Primeiro, se eu estivesse fazendo uma negociação, Deputado Edilázio, eu teria entregado a mercadoria. Se eu era o relator por que eu não relatei? Por que eu não coloquei em pauta para votar? É simples, será que a Odebrecht é tão inocente queria pagar alguém por um serviço não prestado? E, veja bem, quem determina a relatoria é presidente de CCJ e, mais, na Câmara Federal, no encerramento de uma Sessão Legislativa, de um mandato dos quatro anos, Deputado Rafael, se um determinado projeto não foi votado, ele vai automaticamente para o arquivo, ele é arquivado e foi o que aconteceu com esse projeto, foi desarquivado depois, em 2011, e até hoje não foi votado. Então, veja bem, é um exercício de muita imaginação achar que alguém, dentro dessas circunstâncias, dentro dessa verdade e isso não se contesta, alguém iria receber alguma coisa."

Flávio Dino foi citado em delação feita por José de Carvalho Filho, ex-funcionário da Odebrecht, ao Ministério Público Federal (MPF). No depoimento, Filho detalhou o pagamento de R$ 200 mil à campanha de Flávio Dino em 2010, em troca de apoio do comunista, então deputado federal, ao Projeto de Lei nº 2.279/2007 de interesse da empreiteira, na Câmara dos Deputados, e afirmou que outros R$ 200 mil foram pagos na campanha de 2014, mas de forma oficial.

Tanto o governador Flávio Dino, quanto integrantes do governo e a sua tropa de choque na Assembleia Legislativa não têm medido esforços para tentar provar a sua inocência nesse momento. Desde a semana passada, o deputado Rogério Cafeteira tem subido à tribuna para defender a integridade do governador do Maranhão.

"Então, só para encerrar e me perdoem até esse desabafo aqui, eu tenho certeza de que com o tempo as verdades serão postas e nós teremos a tranquilidade de continuar o governo, tenho certeza absoluta, convicção absoluta de que o governador Flávio Dino não tem nada a temer. Então a verdade vai ser colocada e vida que segue. Muito obrigado", finalizou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247