China cancela compra de respiradores feita pelo Consórcio Nordeste e material fica retido nos EUA

Carga de 600 respiradores artificiais, avaliada em R$ 42 milhões, ficou retida no aeroporto de Miami (EUA), onde já estava aguardando conexão para ser transportada para o Brasil

(Foto: Stephane Mahe/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em meio ao avanço da pandemia do novo coronavírus, a China cancelou a venda de 600 respiradores que haviam sido adquiridos pelos estados do Nordeste, por meio de um consórcio entre os estados da Região. A carga, segundo reportagem da Folha de S. Paulo, ficou retida no aeroporto de Miami (EUA), onde já estava aguardando conexão para ser transportada para o Brasil.  A carga de respiradores está avaliada em R$ 42 milhões. O dinheiro, porém, não chegou a ser repassado pelo consórcio.

"Alegaram apenas razões técnicas", disse o secretário da Casa Civil da Bahia, Bruno Dauster. A empresa responsável pela carga, que não teve o seu nome revelado, teria dito, ainda, que o material seria destinado a outro país. A desconfiança, porém, é que os respiradores sejam utilizados pelos EUA, país que hoje é o principal foco de infecção. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email