Delator diz que Lobão ajudou Cunha a pressionar empresas por propina

O lobista Fernando Soares, o Baiano, ligado ao PMDB, confirmou em delação premiada que o atual senador Edison Lobão (PMDB-MA), quando era ministro de Minas e Energia, ajudou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na suposta pressão para o parlamentar receber propina de empresas contratadas pela Petrobras; Lobão teria recomendado o executivo Júlio Camargo, que representava os estaleiros Samsung e a Mitsui, a dialogar com Cunha para evitar que o deputado, na cobrança de pagamentos, retaliasse as empresas usando requerimentos de informação sobre seus contratos

Edison Lobão
Edison Lobão (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Maranhão 247 - O lobista Fernando Soares, o Baiano, ligado ao PMDB, confirmou em delação premiada que o atual senador Edison Lobão (PMDB-MA), quando era ministro de Minas e Energia, ajudou o presidente da Câmara Federal, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na suposta pressão para o parlamentar receber propina de empresas contratadas pela Petrobras.

De acordo com o lobista, o então ministro aconselhou o executivo Júlio Camargo, que representava os estaleiros Samsung e a Mitsui, a dialogar com Cunha. A recomendação de Lobão teria o objetivo de evitar que o deputado, na cobrança de pagamentos, retaliasse as empresas usando requerimentos de informação sobre seus contratos. O depoimento de Baiano reforça acusações de Camargo, que, também delação premiada, havia citado Lobão como um dos envolvidos no esquema de propina envolvendo políticos, empreiteiras e a Petrobras (leia mais aqui).

O lobista do PMDB informou que dois deputados aliados de Cunha aprovaram em 2011, na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara, requerimentos de informações sobre contratos da Petrobrás com a Samsung e a Mitsui. O detalhe é que um dos requerimentos era endereçado ao Ministério de Minas e Energia, à época comandado por Lobão.

Segundo as declarações de Baiano, a manobra dos deputados serviria para pressionar Camargo a pagar "dívida" de US$ 16 milhões com o lobista, referente a propina. Desse total, US$ 5 milhões teriam sido repassados Eduardo Cunha por ele ter conseguido "obrigar" Camargo a saldar o débito.

O ex-ministro Edison Lobão é investigado no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O peemedebista é suspeito de ter recebido pelo menos R$ 1 milhão no esquema de corrupção da Petrobrás apurado pela Operação Lava Jato.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email