Desempregado tem benefício negado e descobre ocupar cargo de 'deputado estadual' em PE, mesmo sem ter sido eleito

O autônomo Mauricio Sandro Correia de Melo, de 50 anos, solicitou o auxílio de R$ 600 à Caixa, mas ficou surpreso com a resposta do banco: "cidadão exerce mandato eletivo". O desempregado ficou sabendo que, para o governo, era "deputado estadual"

(Foto: Reprodução (G1))
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O autônomo Mauricio Sandro Correia de Melo, de 50 anos, solicitou o auxílio emergencial do governo federal, por causa do novo coronavírus, mas não recebeu nem a primeira parcela. Depois de usar o aplicativo da Caixa Econômica, no dia 7 de abril, ele ficou surpreso com a resposta do banco: "cidadão exerce mandato eletivo". O desempregado ficou sabendo que, para o governo, era "deputado estadual". Ele foi candidato, mas não se elegeu. 

Por lei, quem tem mandato eletivo ou trabalha na administração pública não pode receber a ajuda de pelo menos R$ 600 por mês. Mas candidatos não eleitos e atualmente desempregados estão ficando sem o dinheiro. As informações são do portal G1

Sandro foi candidato a deputado estadual em 2018, mas não foi eleito e nunca teve cargo público algum. Agora, para o sustento dele, da esposa e da filha de 4 anos, eles contam apenas com a renda da mulher, de R$ 1.800.

Sobre a situação de pessoas que foram identificadas como ocupantes de cargos eletivos, o Ministério da Cidadania e a Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev) informaram que "não será necessário recadastrar ou fazer qualquer operação no aplicativo" e que "a regra foi ajustada para reanálise, iniciada em 30 de abril, e todos que tiverem direito receberão as três parcelas do benefício".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247