Dino: direita venceu esquerdas nas eleições, mas Bolsonaro foi derrotado

"Diria que essa face da direita brasileira, a face mais selvagem, bruta, violenta, anedótica, saiu derrotada. Como o Bolsonaro é a expressão disso, não há dúvida que saiu derrotado", afirma o governador do Maranhão, Flávio Dino. A derrota de Bolsonaro não esconde, porém, a vitória da direita sobre a esquerda, avalia. Nesta segunda, 30, Dino será entrevistado no Boa Noite 247

Flávio Dino
Flávio Dino (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), afirmou que o maior derrotado nas eleições municipais foi Jair Bolsonaro. Mas ele ressalta que a direita venceu a esquerda: "Se olharmos nacionalmente, não há dúvida que a direita venceu a esquerda. Quando nós matizamos isso, olhamos as várias nuances que há no interior de cada campo político, vamos encontrar que o bolsonarismo, a antipolítica, coisas meio caricatas, anedóticas, que prevaleceram em 2018, não tiveram muito espaço em 2020. Diria que essa face da direita brasileira, a face mais selvagem, bruta, violenta, anedótica, saiu derrotada. Como o Bolsonaro é a expressão disso, não há dúvida que saiu derrotado". Nesta segunda-feira (30), ele será entrevistado no Boa Noite 247.

Em sua avaliação,  durante entrevista ao UOL, o governador disse esperar um "processo de decadência" do governo Bolsonaro até 2022. "Como acho que o governo vai muito mal, infelizmente, porque como brasileiro torço para que as coisas deem certo, mas acho um governo muito ruim, e vai piorar. É um governo desacertado, desorganizado, desorientado. Não existe gestão em nenhuma área, muito menos na econômica. Por isso, imagino que a força de atração do Bolsonaro é declinante, ou seja, 2020, ao meu ver, parte para um processo de decadência que irá até 2022".

De acordo com as estatísticas, apenas quatro dos 16 candidatos a prefeito apoiados por Bolsonaro foram eleitos. Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já haviam apontado, antes do segundo turno, que somente um dos 78 candidatos com o sobrenome "Bolsonaro" nas urnas foi eleito - Carlos Bolsonaro, reeleito na Câmara Municipal do Rio. O pai do parlamentar apoiou 45 candidatos a vereador, que apareceram no "horário eleitoral gratuito" dele, e apenas sete conquistaram uma vaga no legislativo de suas cidades. 

Apoiado por Flávio Dino, o agora ex-candidato Duarte Júnior (Republicanos) alcançou 44,47% dos votos no segundo turno em São Luís (MA). O eleito foi Eduardo Braide (Podemos), com 55,53%. "A base de apoio ao governo se dividiu. Uma parte dela optou por apoiar o candidato da oposição. Isso leva a um processo de revisão do nosso campo político", disse o governador. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email