Dino reage e diz que foi “eleito para deixar o coronelismo no passado”

Através das redes sociais, o governador Flávio Dino (PCdoB) reagiu a ataques desferidos por meios de comunicação ligados ao grupo do ex-presidente José Sarney; “Vão passar quatro anos assim, agredindo para ver seu eu chamo para uma conversa. Não chamarei. Fui eleito para deixar o coronelismo no passado”, disse; ao que parece, a perda de regalias pelo grupo Sarney, caso de benefícios ligados a empresas e empresários, tem deixado a oligarquia assustada

Através das redes sociais, o governador Flávio Dino (PCdoB) reagiu a ataques desferidos por meios de comunicação ligados ao grupo do ex-presidente José Sarney; “Vão passar quatro anos assim, agredindo para ver seu eu chamo para uma conversa. Não chamarei. Fui eleito para deixar o coronelismo no passado”, disse; ao que parece, a perda de regalias pelo grupo Sarney, caso de benefícios ligados a empresas e empresários, tem deixado a oligarquia assustada
Através das redes sociais, o governador Flávio Dino (PCdoB) reagiu a ataques desferidos por meios de comunicação ligados ao grupo do ex-presidente José Sarney; “Vão passar quatro anos assim, agredindo para ver seu eu chamo para uma conversa. Não chamarei. Fui eleito para deixar o coronelismo no passado”, disse; ao que parece, a perda de regalias pelo grupo Sarney, caso de benefícios ligados a empresas e empresários, tem deixado a oligarquia assustada (Foto: Voney Malta)

Por Leandro Miranda/Ma10 - O governador Flávio Dino em menos de 24 horas utilizou mais uma vez as redes sociais para se defender dos ataques da TV Mirante e blogueiros ligados a grupo Sarney. Em um tom pouco amistoso, o comunista acredita que a pressão exercida pela oligarquia tem por objetivo colher alguns benefícios.

“Vão passar quatro anos assim, agredindo para ver seu eu chamo para uma conversa. Não chamarei. Fui eleito para deixar o coronelismo no passado”. Falou o governador.

Em outras palavras, Dino acredita que a perda de várias regalias pelo grupo Sarney, principalmente alguns benefícios ligados a empresas e empresários, deixou a oligarquia assustada. A estratégia da oposição é criar factoides e escândalos para obrigar o atual Governo a manter os privilégios da sarneyzada.

O governador deixa isso bem claro ao dizer que, “mera confederação de privilegiados gritando com saudades de boquinhas e fraudes. Muito interessante ver gente que desviou bilhões do povo do Maranhão tentando inventar escândalos. Tirando leite de pedra. Desfaçatez”.

Junto a sua postagem, ele ainda indica um link onde a Sefaz cancelou o registro de 94 empresas fantasmas. Seria por aí o grande rancor da oligarquia.

Através de nota, o Governo se manisfestou sobre o aluguel do prédio Funac que pertence a um membro do PCdoB, e que tem sido amplamente explorado pela oposição.

Nota do Governo

Sobre reportagem “Maranhão paga aluguel desde 2015 de prédio para menores ativado só esta semana”, veiculada nesta sexta-feira (6) pelo jornal Bom Dia Brasil, o Governo do Estado, por meio da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), vinculada à Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), esclarece que:

Com a necessidade de criação de vagas para diminuir a superlotação e ampliar a quantidade de adolescentes infratores atendidos, no início de 2015, a Fundação iniciou processo de ampliação e expansão das unidades. Para tanto, foram consultadas várias imobiliárias, para realizar pesquisa mercadológica de prédios visando abrigar uma nova Unidade.

Após exaustiva pesquisa em diversos imóveis e constatar o menor preço, a Fundação locou o imóvel para implantação da Unidade na Aurora, tendo como intermediadora da locação a empresa Área Imobiliária, com dispensa de licitação, amparada na Lei nº 9.579/2012, artigo 22º, parágrafo único, vigente à época.

Além do menor preço, o imóvel foi escolhido por atender critérios, como área mínima, com possibilidade para ampliação de espaços, acessibilidade, áreas para alojamentos, refeitório, atendimento, escolarização e outras atividades. Ressalte-se que vários imóveis foram pesquisados, por imobiliárias diferentes. Contudo, nenhum outro imóvel que atendesse às especificidades estabelecidas pelo Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) foi encontrado.

O contrato foi publicado, no dia 08 de julho de 2015, no Diário Oficial do Estado, com vigência até 19/06/2020, cumprindo todas as exigências legais. De imediato, foi dado início ao processo de adaptação do imóvel. Ao contrário do que diz a reportagem, a adaptação do imóvel se dá após a efetivação do contrato, considerando as especificidades da estrutura física de uma unidade de atendimento para suprir os padrões de segurança, conforme artigo 21º, parágrafo 1º, da lei supracitada.

De julho a novembro de 2015 foram realizadas adequações internas de alojamentos. O processo foi interrompido devido às manifestações dos moradores, que impediram o acesso dos trabalhadores ao local. A partir de então, começaram as tratativas com a comunidade com a realização de várias reuniões, que se estenderam até maio de 2016.

Em maio de 2016, ocorreu reunião entre as lideranças da comunidade e representantes do Governo, quando houve o consenso para a instalação da unidade da Funac, mediante estudo para construção de Companhia da Polícia Militar do bairro, no terreno do prédio locado. A partir de então, passaram a acontecer o estudo e a elaboração de projeto para a construção da companhia.

Em dezembro de 2016, considerando as restrições orçamentárias para construção da companhia, bem como a adoção de medidas alternativas para garantir a segurança da comunidade, a Funac concluiu as adaptações internas necessárias para o ingresso dos adolescentes, corrigindo a superlotação existente nas outras unidades da capital.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247