“Eles estão cheios de desejos autoritários”, diz autor de PL que pune apologia à ditadura

Vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA) alertou para a necessidade de reforçar a precaução em torno do sistema democrático diante das declarações de integrantes do governo como a do ministro Paulo Guedes sobre o AI-5

Márcio Jerry
Márcio Jerry
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA) alertou, nesta quarta-feira (27), para a necessidade de reforçar a precaução em torno do sistema democrático, a fim de garantir o bom funcionamento das instituições brasileiras. Em tom de alerta, o parlamentar que compõe a base aliada do atual Governador do Maranhão, Flávio Dino, avalia que as recentes declarações sobre a retomada de regimes autoritários revelam a falta de um projeto claro e a desordem da cúpula do Governo de Jair Bolsonaro.  

“As pregações absurdas de ataques à democracia requerem total atenção em nosso país. Expoentes do governo Bolsonaro e de sua base, de forma recorrente, se referem à possibilidade de repressão, AI-5, ditadura. Eles estão perdidos no Governo e cheios de desejos autoritários”, afirmou.  

Na última segunda-feira (25), o ministro da economia, Paulo Guedes, afirmou que seria plausível "pedir um novo AI-5" caso o povo ocupasse as ruas contra as reformas propostas por Jair Bolsonaro. No fim de outubro, foi a vez do filho 03, Eduardo Bolsonaro, dizer que se a esquerda 'radicalizasse', uma das respostas do Governo poderia ser 'via um novo AI-5'.Poucos dias depois, em resposta a Eduardo, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, afirmou que era preciso "estudar como fazer" isso.  

Márcio Jerry é autor do PL 1798/2019, que criminaliza a apologia ao retorno da ditadura militar e a pregação de novas rupturas institucionais no país. Parado na Comissão de Cultura (CCULT), a proposição, junto a outras, de conteúdo semelhante, aguarda parecer do relator para avançar na Casa, antes de se tornar lei.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email