Eliane teria recusado rompimento com Dino

A aliança entre o PPS da pré-candidata Eliziane Gama e o PMDB, por enquanto, não tem chance de ser concretizada; a cúpula peemedebista exigiu que a deputada anunciasse um rompimento com o governador Flávio Dino e declarasse apoio ao grupo Sarney; ela não topou, pois sabe que romper com o governador agora poderia lhe ajudar momentaneamente com o apoio do PMDB, mas seria decretar o seu isolamento político em caso de derrota; além do mais, há um acordo fechado em 2014 que vem sendo cumprido tanto pela deputada como pelo comunista

A aliança entre o PPS da pré-candidata Eliziane Gama e o PMDB, por enquanto, não tem chance de ser concretizada; a cúpula peemedebista exigiu que a deputada anunciasse um rompimento com o governador Flávio Dino e declarasse apoio ao grupo Sarney; ela não topou, pois sabe que romper com o governador agora poderia lhe ajudar momentaneamente com o apoio do PMDB, mas seria decretar o seu isolamento político em caso de derrota; além do mais, há um acordo fechado em 2014 que vem sendo cumprido tanto pela deputada como pelo comunista
A aliança entre o PPS da pré-candidata Eliziane Gama e o PMDB, por enquanto, não tem chance de ser concretizada; a cúpula peemedebista exigiu que a deputada anunciasse um rompimento com o governador Flávio Dino e declarasse apoio ao grupo Sarney; ela não topou, pois sabe que romper com o governador agora poderia lhe ajudar momentaneamente com o apoio do PMDB, mas seria decretar o seu isolamento político em caso de derrota; além do mais, há um acordo fechado em 2014 que vem sendo cumprido tanto pela deputada como pelo comunista (Foto: Leonardo Lucena)

Blog Marrapá - A aliança entre o PPS da pré-candidata Eliziane Gama e o PMDB, por enquanto, não tem chance de ser concretizada. A cúpula peemedebista exigiu que a deputada anunciasse um rompimento com o governador Flávio Dino e declarasse apoio ao grupo Sarney. Ela não topou e manteve sua lealdade.

Eliziane de fato quer o PMDB, como disse no início da noite de ontem (26), ao lembrar lembrou que o PPS faz parte do Governo Federal e da base do presidente interino Michel Temer (PMDB), mas em outros termos.

A pré-candidata sabe que romper com o governador agora poderia lhe ajudar momentaneamente com o apoio do PMDB, mas seria decretar o seu isolamento político em caso de derrota. Além do mais, há um acordo fechado em 2014 que vem sendo cumprido tanto pela deputada como pelo comunista.

Eliziane tem mostrado que não é do tipo que aceita qualquer aliança. Ela recusou a filiação ao PSB pelo mesmo motivo. Não iria romper com Flávio por um possível apoio a Roberto Rocha em 2018. Na aliança com o PSDB, não aceitou Gardeninha como vice – apesar das pressões do ex-prefeito João Castelo.

Gama mantém firmeza e tranquilidade. No momento, o PMDB é quem precisa dela, não o contrário. Por isso, mesmo diante da sua recusa, as conversas não devem continuar.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247