Flávio Dino: o que causa a crise econômica é o coronavírus, mas Bolsonaro finge ignorar

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB-MA), condenou a fala de Jair Bolsonaro, que culpou os governadores pela crise que o Brasil enfrenta. “Quem está causando a grave crise econômica é o coronavírus. Incrível que Bolsonaro finja ignorar isso”, disse ele

Jair Bolsonaro e Flávio Dino
Jair Bolsonaro e Flávio Dino (Foto: PR | LULA MARQUES)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB-MA) condenou nesta quinta-feira (14) a fala de Jair Bolsonaro, que culpou os governadores pela crise que o Brasil enfrenta.  

“Se a crise econômica fosse causada pelos governadores, por que ela existe em outros países ? Quem está causando a grave crise econômica é o coronavírus. Incrível que Bolsonaro finja ignorar isso. E a responsabilidade da gestão econômica é dele. Se não sabe o que fazer, renuncie”, diz Dino. 

Leia reportagem do Brasil 247 da manhã desta quinta sobre as declarações de Bolsonaro:

247 - Jair Bolsonaro atacou com violência as autoridades sanitárias, governadores e prefeitos do país e afirmou na manhã desta quinta-feira (14), no portões do Palácio da Alvorada, que "o lockdown é o caminho do fracasso, vai quebrar o Brasil". Em tom de ameaça, completou: "o caos se fará presente". Disse ainda que "vai faltar dinheiro para pagar servidor público".

"O Brasil está se tornando um país de pobres", afirmou, atribuindo o fato ao combate à epidemia do coronavírus pela autoridades sanitárias, governadores e prefeitos."Para onde está indo o Brasil? Vai chegar um ponto que o caos vai se fazer presente aqui”. No mesmo espírito, afirmou: "Temos que ter coragem de enfrentar o vírus. Está morrendo gente? Está! Lamento! Mas vai morrer muito mais se a economia continuar sendo destroçada por essas medidas”.

Dirigindo-se aos jornalistas presentes, garantiu ter telefonado para Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, nesta manhã que teria informadao que aumentará para quatro meses o tempo que clientes poderão atrasar o pagamento de imóvel. "2,3 milhões de clientes da Caixa Econômica que pagam casa própria pediram para pausar o crédito. Como regra, a Caixa permitia o atraso até dois meses. Resolveu prorrogar por mais um mês, para três meses", disse Bolsonaro. "Conversei com ele [Pedro Guimarães] agora, comum acordo, e ele disse que vai aumentar para quatro meses."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247