Governo da Bahia diz que ação contra jornalistas não teve a 'intenção de cercear imprensa'

A Secretaria de Comunicação Social do Estado da Bahia divulgou nota em que afirma que a ação que deteve dois jornalistas da revista Veja, que apuravam o caso do miliciano Adriano da Nóbrega, não teve a intenção de cercear a liberdade de imprensa

(Foto: Veja/Divulgação)

247 - Em nota divulgada nesta sexta-feira (14), a Secretaria de Comunicação do governo da Bahia afirma que a ação da Polícia Militar que prendeu jonalistas da revista Veja, "não teve a intenção de impedir o livre exercício" da imprensa.

Mesmo depois de identificados como jornalistas, enquanto tentavam entrevistar o fazendeiro Leandro Abreu Guimarães, suspeito no caso do miliciano morto, ligado à família de Bolsonaro, a PM deteve na manhã desta sexta-feira (14)  os repórteres Hugo Marques e Cristiano Mariz, da Veja.

Confira a íntegra da nota:

A Secretaria de Comunicação Social do Estado da Bahia (Secom) esclarece que a ação da Polícia Militar (PMBA) envolvendo repórteres da revista Veja, nesta sexta-feira (14), não teve a intenção de impedir o livre exercício da profissão jornalística.

Vale ressaltar que os jornalistas não foram detidos. A defesa incansável da liberdade de imprensa é prerrogativa inviolável e nossa prática diária.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247