Governador do Ceará defende atos pró-democracia, mas critica aglomerações

"Sempre apoiarei o engajamento dos brasileiros em defesa da democracia, uma de nossas maiores riquezas". defendeu o governador do Ceará, Camilo Santana (PT). No entanto, advertiu que quaisquer atos nas ruas neste momento grave de pandemia está proibido por decreto que deve ser respeitado

Governador do Ceará Camilo Santana
Governador do Ceará Camilo Santana (Foto: José Wagner)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador do Ceará, Camilo Santana, usou as redes sociais para se posicionar a favor dos atos em defesa da democracia, mas ponderou que em meio à pandemia é contra a algomerações.

"Sempre apoiarei o engajamento dos brasileiros em defesa da democracia, uma de nossas maiores riquezas. Mas sou absolutamente contra a realização de quaisquer atos nas ruas neste momento grave de pandemia", escreveu o governador.

"Há no Ceará um decreto que proíbe aglomerações, e deve ser respeitado", advertiu.


 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247