Governador do Ceará desmente Weintraub sobre adesão do estado à programa de escolas militares

"Quero deixar bem claro que o Ceará não aderiu a nenhum novo modelo de educação, mas a um programa que prevê recursos federais para a construção de duas unidades de ensino", escreveu Camilo Santa em resposta ao ministro da Educação

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), afirmou que o estado não  aderiu a nenhum novo modelo de ensino ao aceitar recursos federais para a  construção de escolas militares. Ele ainda destacou que o estado é  referência em matéria de educação.

“Quero deixar bem claro que o  Ceará não aderiu a nenhum novo modelo de educação, mas a um programa que  prevê recursos federais para a construção de duas unidades de ensino.  Aliás, o Ceará já possui três escolas militares, duas da PM e uma dos  Bombeiros, num universo de 728 escolas estaduais, sendo 252 de tempo  integral”, declarou Camilo.

A adesão do Ceará ao Programa Nacional de Escolas Cívico-Militares – uma das bandeiras de Jair Bolsonaro em 2018 – foi anunciada por Weintraub e, segundo o ministro, surpreendeu o MEC. O estado governado por Camilo foi o único do Nordeste a aderir ao plano.  

Continue lendo na Fórum

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247