Governador do Ceará pede por lei antiterrorismo que pode tornar MST ilegal

Governador do Ceará, Camilo Santana (PT), defendeu a ampliação da legislação antiterrorismo devido a uma nova onda de ataques feitos por uma facção criminosa no Estado. A iniciativa, porém, vai de encontro ao que pensa a maioria da legenda, que teme que o endurecimento da legislação acabe por criminalizar movimentos sociais, como o MST

Governador do Ceará, Camilo Santana (PT)
Governador do Ceará, Camilo Santana (PT) (Foto: Jonas Pereira/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - O governador do Ceará Camilo Santana (PT) defendeu nesta quarta-feira (25) uma legislação mais rigorosa contra o terrorismo, contrariando o posicionamento de seu próprio partido sobre o tema. Colocação de Santana veio após uma nova onda de ataques feitos por uma facção criminosa no estado, em razão de mudanças no sistema penitenciário. No entanto, caso seja aprovada tal legislação, é possível que o MST se torne ilegal.

Em entrevista ao UOL, o governador também defendeu que o governo federal atue mais fortemente nas áreas de fronteira. “Todo esse problema da violência no país é devido a um fator: droga, tráfico de droga. Se você for olhar, a responsabilidade de combater o narcotráfico é da União, não é dos estados”, disse.

Leia a íntegra na Revista Fórum

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email