Governo entregará 1ª unidade do ‘Escola Digna’

O governo do Maranhão deve iniciar a construção de ao menos 20 escolas do programa Escola Digna, instituído no dia 1 de janeiro pelo executivo estadual com o objetivo de om meta de substituir escolas improvisadas de taipa, palha, galpões ou outros estabelecimentos considerados inadequados, por estruturas de alvenaria; segundo a atual gestão, estão agendas para acontecer até de abril as licitações para construção de 54 unidades do Escola Digna, através do Regime Diferenciado de Contratações – RDC, cuja finalidade é ampliar a eficiência nas contratações do poder público; a meta do governo é iniciar a construção de 156 unidades escolares ainda este ano

O governo do Maranhão deve iniciar a construção de ao menos 20 escolas do programa Escola Digna, instituído no dia 1 de janeiro pelo executivo estadual com o objetivo de om meta de substituir escolas improvisadas de taipa, palha, galpões ou outros estabelecimentos considerados inadequados, por estruturas de alvenaria; segundo a atual gestão, estão agendas para acontecer até de abril as licitações para construção de 54 unidades do Escola Digna, através do Regime Diferenciado de Contratações – RDC, cuja finalidade é ampliar a eficiência nas contratações do poder público; a meta do governo é iniciar a construção de 156 unidades escolares ainda este ano
O governo do Maranhão deve iniciar a construção de ao menos 20 escolas do programa Escola Digna, instituído no dia 1 de janeiro pelo executivo estadual com o objetivo de om meta de substituir escolas improvisadas de taipa, palha, galpões ou outros estabelecimentos considerados inadequados, por estruturas de alvenaria; segundo a atual gestão, estão agendas para acontecer até de abril as licitações para construção de 54 unidades do Escola Digna, através do Regime Diferenciado de Contratações – RDC, cuja finalidade é ampliar a eficiência nas contratações do poder público; a meta do governo é iniciar a construção de 156 unidades escolares ainda este ano (Foto: Leonardo Lucena)

Maranhão 247 - O governo do Maranhão deve iniciar a construção de ao menos 20 escolas do programa Escola Digna, instituído no dia 1 de janeiro pelo executivo estadual com o objetivo de om meta de substituir escolas improvisadas de taipa, palha, galpões ou outros estabelecimentos considerados inadequados, por estruturas de alvenaria. Segundo a atual gestão, estão agendas para acontecer até de abril as licitações para construção de 54 unidades do Escola Digna, através do Regime Diferenciado de Contratações – RDC, cuja finalidade é ampliar a eficiência nas contratações do poder público. A meta do governo é iniciar a construção de 156 unidades escolares ainda este ano.

A escola Pedro Álvares Cabral, no povoado Muriçoca, em Fortaleza dos Nogueiras, no Sul do estado, será a primeira unidade escolar a ser entregue pelo executivo. Construída em parceria com a empresa Agroserra, a obra encontra-se em fase de acabamento, com a realização dos serviços de cobertura do pátio, revestimento e forros.  Outras seis unidades já também estão em fase de construção, para entrega este semestre, no município de Marajá do Sena, que tem um dos piores IDHs do Brasil. 

"A substituição das escolas de taipa, que não oferecem condições para que os professores ministrem suas aulas e nossas crianças tenham um bom aprendizado, é meta do Governador Flávio Dino. E nós estamos imbuídos nessa missão de garantir a estrutura necessária para que os estudantes maranhenses tenham uma educação de qualidade", destacou o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão.

As obras do programa Escola Digna são financiadas com recursos próprios do Governo do Estado, com empréstimos junto ao Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e por emendas parlamentares. Uma parte do programa será realizado com recursos advindos de parceria com a iniciativa privada. Empresas como a Agroserra, Cemar, Mateus, Mazan, Parnaíba Gás Natural e Suzano vão adotar, ao todo, 13 novas escolas a serem construídas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247