Isenção de multas do ICMS no MA ajuda a combater a crise, dizem empresários

Empresários maranhenses dizem que a isenção dos juros e multas do ICMS vêm num momento oportuno, já que a crise econômica nacional tem criado obstáculos para os negócios e empreendimentos; o governador Flávio Dino concedeu o desconto para os contribuintes maranhenses; “Vemos nas medidas do governo sensibilidade para apoiar o setor produtivo num momento muito delicado da economia. A medida estimula a adimplência e os investimentos. Além disso, o governo também teve a sensibilidade de incluir fatos geradores ocorridos até 30 de junho de 2017, o que também é importante”, diz o diretor da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), Luís Fernando Renner

Empresários maranhenses dizem que a isenção dos juros e multas do ICMS vêm num momento oportuno, já que a crise econômica nacional tem criado obstáculos para os negócios e empreendimentos; o governador Flávio Dino concedeu o desconto para os contribuintes maranhenses; “Vemos nas medidas do governo sensibilidade para apoiar o setor produtivo num momento muito delicado da economia. A medida estimula a adimplência e os investimentos. Além disso, o governo também teve a sensibilidade de incluir fatos geradores ocorridos até 30 de junho de 2017, o que também é importante”, diz o diretor da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), Luís Fernando Renner
Empresários maranhenses dizem que a isenção dos juros e multas do ICMS vêm num momento oportuno, já que a crise econômica nacional tem criado obstáculos para os negócios e empreendimentos; o governador Flávio Dino concedeu o desconto para os contribuintes maranhenses; “Vemos nas medidas do governo sensibilidade para apoiar o setor produtivo num momento muito delicado da economia. A medida estimula a adimplência e os investimentos. Além disso, o governo também teve a sensibilidade de incluir fatos geradores ocorridos até 30 de junho de 2017, o que também é importante”, diz o diretor da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), Luís Fernando Renner (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Blog do Garrone - Empresários maranhenses dizem que a isenção dos juros e multas do ICMS vêm num momento oportuno, já que a crise econômica nacional tem criado obstáculos para os negócios e empreendimentos. O governador Flávio Dino concedeu o desconto para os contribuintes maranhenses.

“Vemos nas medidas do governo sensibilidade para apoiar o setor produtivo num momento muito delicado da economia. A medida estimula a adimplência e os investimentos. Além disso, o governo também teve a sensibilidade de incluir fatos geradores ocorridos até 30 de junho de 2017, o que também é importante”, diz o diretor da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), Luís Fernando Renner.

Renner também destaca o fato de o governo ter determinado que não haverá outros parcelamentos ou anistias até 2022: “É importante que o governo tome a providência de vedar débitos fiscais nos próximos anos, tendo efeito pedagógico”.

A mesma visão tem o presidente da Associação Comercial e Industrial da Região Tocantins, Hélio Rodrigues Araújo: “Ao anistiar os juros e multas do ICMS, ao mesmo tempo em que impede que novos procedimentos de isenção sejam tomados até 2022, o governo sinaliza uma preocupação com este momento específico de crise nacional”.

“É, portanto, uma medida voltada para apoiar quem produz, sem incentivar a inadimplência”, acrescenta. Araújo avalia que o governo tem feito esforços para estimular a economia: “Considero que, além dessa medida, programas como o Juros Zero e o Mais Empregos são muito importantes sobretudo para os pequenos empresários que têm sérias dificuldades em conseguir créditos e incrementar mão de obra”.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de São Luís (CDL São Luís), Fábio Ribeiro, a medida é benéfica e chega num momento em que há muitos contribuintes com dívidas fiscais. “Muitos empreendedores precisam de fôlego para reequilibrar o caixa, podendo agora optar por esse parcelamento em condições que estejam adequadas à sua capacidade financeira atual.”

A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) definiu os descontos de juros e multas de acordo com o número de parcelas que o contribuinte escolher. Para os que optarem pelo pagamento integral à vista, haverá desconto de 100%.

Para os contribuintes que preferirem efetuar o pagamento parcelado em até 60 vezes, o desconto será de 80%. Já para os que decidirem quitar o pagamento com parcelamento entre 61 e 120 vezes, o desconto será de 50% de juros e multas.

Atendendo a um pedido da classe empresarial e da classe contábil, o governo promoveu ainda a anistia de juros e multas por obrigações acessórias. “Essa medida atende contribuintes que eventualmente não apresentaram a declaração no prazo. Nesse caso, haverá anistia de 95% do valor da multa”, explica o secretário de Estado da Fazenda, Marcellus Ribeiro.

Os contribuintes têm até o dia 31 de outubro de 2017 para efetuar as opções de pagamento do tributo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247