Justiça Militar condena 5 oficiais por fraude de R$ 344,3 mil em hospital do Recife

A Justiça Militar da União (JMU) condenou cinco oficiais do Exército e uma empresária - casada com um dos envolvidos nas irregularidades - por envolvimento em um esquema de fraudes em licitações de informática no Hospital Militar de Área do Recife (PE)

Hospital Militar de Área do Recife
Hospital Militar de Área do Recife (Foto: STM)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Justiça Militar da União (JMU) condenou cinco oficiais do Exército Brasileiro (EB) e uma empresária por envolvimento em um esquema de fraudes no Hospital Militar de Área do Recife (PE). O esquema teria resultado em um prejuízo de R$ 344,3 mil aos cofres públicos. A proprietária da empresa envolvida nas irregularidades é casada com um dos oficiais condenados pela Justiça Militar. 

Segundo reportagem do site Metrópoles, as irregularidades nas licitações teriam ocorrido entre os anos de 2008 e 2010. As fraudes envolviam compras de equipamentos de informática como computadores, fontes de alimentação e gravadores de CD, entre outros itens, que não eram entregues à unidade hospitalar. 

“Afirma o MPM que, com esta meticulosa e elaborada manobra fraudulenta, os denunciados, em concurso de pessoas e com repartição de tarefas, auferiram vantagem econômica indevida, comprovadas em análise de suas movimentações bancárias e de sigilo fiscais, induzindo a administração militar em erro em razão da fraude cometida nos procedimentos licitatórios”, destacou a juíza federal da Justiça Militar Maria do Socorro Leal na sentença. O diretor do HMAR, coronel Francisco José de Madeiro Monteiro, foi acusado de ser o mentor do esquema e foi condenado a cumprir uma pena seis anos de reclusão.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247