Lava Jato vai compartilhar dados em investigação contra Roseana Sarney

Operação Lava Jato irá compartilhar provas, especialmente um grampo telefônico do doleiro Alberto Youssef, com a Corregedoria Geral do Maranhão; compartilhamento das informações está ligado a uma investigação sobre fraudes no pagamento de um precatório de $ 134 milhões do Governo do Estado durante a administração de Roseana Sarney (PMDB) visando beneficiar a empreiteira Constran/UTC, do delator Ricardo Pessoa; decisão parttiu do juiz federal doParaná Sérgio Moro, responsável pelos inquéritos da Operação Lava Jato

Roseana Sarney
Roseana Sarney (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os responsáveis pela Operação Lava Jato irão compartilhar provas, especialmente um grampo telefônico do doleiro Alberto Youssef, com a Corregedoria Geral do Maranhão. Compartilhamento das informações está ligado a uma investigação sobre fraudes em um precatório do Governo do Estado durante a administração de Roseana Sarney (PMDB) visando beneficiar a empreiteira Constran/UTC, do delator Ricardo Pessoa.

"A Corregedoria solicitou a este Juízo o compartilhamento de diálogos telefônicos mantidos por Alberto Youssef com os interlocutores Walmir Pinheiro e Ricardo Pessoa, com destaque para uma ligação telefônica realizada no dia 9 de dezembro de 2013, identificada como '67809200.WAV', na qual 'Youssef recebe a confirmação de que a primeira parcela foi disponibilizada na conta da Constran S/A", justificou o juiz federal de Curitiba Sérgio Moro.

A suspeita é que Youssef, preso em um dos desdobramentos da Operação Lava Jato, tenha pago propina ao governo de Roseana Sarney, filha do senador e ex-presidente José Sarney (PMDB/AP), para agilizar o pagamento de um precatório no valor de R$ 134milhões referente a obras de terraplanagem e pavimentação da BR-230.

Em setembro de 2015, o ex-secretário da Casa Civil o Maranhão no governo de Roseana Sarney foi preso sob suspeita de ter recebido R$ 3 milhões para acelerar o pagamento do precatório.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email