MA sem PMs: alunos vão reforçar policiamento

Secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, coloca nas ruas alunos do curso de formação da PM para combater violência da facção criminosa Bonde dos 40; “Estamos convocando todo o efetivo, inclusive quem estava de folga, para dar uma resposta eficaz à população sobre o ocorrido”, afirmou Mendes

Secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, coloca nas ruas alunos do curso de formação da PM para combater violência da facção criminosa Bonde dos 40; “Estamos convocando todo o efetivo, inclusive quem estava de folga, para dar uma resposta eficaz à população sobre o ocorrido”, afirmou Mendes
Secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, coloca nas ruas alunos do curso de formação da PM para combater violência da facção criminosa Bonde dos 40; “Estamos convocando todo o efetivo, inclusive quem estava de folga, para dar uma resposta eficaz à população sobre o ocorrido”, afirmou Mendes (Foto: Roberta Namour)

Atual7 - Parece piada ou mentira. Estado com um dos menores efetivos de policias militares do País, o Maranhão não teve alternativas e passará a contar com a ajuda dos alunos do curso de formação da PM para reforçar o policiamento nas ruas da capital, após o terceiro ataque – e o mais violento – da facção criminosa Bonde dos 40.

A medida foi anunciada com grande estardalhaço, no último sábado (4), pelo secretário de Segurança Pública, que derruba Roseana Sarney mas não cai do cargo, Aluísio Mendes – há suspeitas de que sua permanência tenha relação como um pagamento de dívida de quando ele ainda atuava em Brasília, como agente da Polícia Federal.

Com a participação de pequenos subordinados, a reunião da cúpula da Segurança do Estado – que acredita que agora o Maranhão será salvo da criminalidade e o poder será devolvido ao Governo -, contou ainda com a presença do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Zanoni Porto, a delegada-geral da Polícia Civil do Maranhão, Cristina Rezende, e Aluísio Mendes, que comanda também as ações dos dois primeiros. Ao todo, são 1700 alunos em formação e, aproximadamente, 780 somente para a região metropolitana.

- A estratégia foi montada. Nós não vamos divulgar por uma questão de segurança. O que posso dizer é que será mais do que o dobro do que é adotado normalmente no policiamento, diariamente. Estamos convocando todo o efetivo, inclusive quem estava de folga, para dar uma resposta eficaz à população sobre o ocorrido – afirmou secretário de Segurança do Maranhão, que deixará de fora da operação apenas os mais de 200 PMs que permanecerão exclusivos para a segurança do Palácio dos Leões, no gabinete militar da sede do Governo do Estado.

Ainda de acordo com Aluísio Mendes, os autores dos ataques a ônibus [os da última sexta-feira (3)] já foram identificados pelo Serviço de Inteligência da polícia. Em 2013, quando pela primeira vez houve este tipo ação criminosa em todo o Estado, ele também afirmou que já tinha informações sobre quem eram os autores e mandantes dos ataques, mas as prisões de suspeitos não evitaram que a facção voltasse a promover o terror por mais duas outras vezes.

- Temos provas contundentes de quem foram os responsáveis pelos atos. A prisão é uma questão de tempo. As polícias estão todas mobilizadas para prendê-los. Vamos apresentar o mais rápido possível. Vocês vão ver que as pessoas que serão apresentadas já foram presas várias vezes, e continuam em liberdade. O criminoso hoje não tem medo de ficar preso – destacou, numa tentativa de culpar a Polícia Civil e o Tribunal de Justiça do Maranhão pelo estrago deixado pela grupo que, além delegacias alvejas, ônibus queimados, medo na população e feridos, vitimou duas pessoas, entra elas uma menina de apenas 6 anos de idade, falecida hoje (6), devido a gravidade dos ferimentos causados no incêndio de um dois ônibus. Ela teve mais de 90% do corpo queimado.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247