Atos pela educação em Recife revelam que mobilização no país cresce

Os atos pela Educação em Recife foram fortes como nas outras capitais do país. A professora da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Isabelle Meunier, disse "A gente está defendendo uma coisa que não precisaria estar defendendo, que é o direito à educação, que a gente só tinha a avançar. Agora não. Nós sofremos um retrocesso, vem sofrendo cortes e cortes, contingenciamentos, desrespeito, uma narrativa totalmente contrária, agressiva, a quem produz ciência, a quem produz conhecimento."

(Foto: Mídia NINJA)

247 - Os atos pela Educação em Recife foram fortes como nas outras capitais do país. A professora da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Isabelle Meunier, disse "A gente está defendendo uma coisa que não precisaria estar defendendo, que é o direito à educação, que a gente só tinha a avançar. Agora não. Nós sofremos um retrocesso, vem sofrendo cortes e cortes, contingenciamentos, desrespeito, uma narrativa totalmente contrária, agressiva, a quem produz ciência, a quem produz conhecimento."

A reportagem do Jornal do Commercio Online informa que "a organização não informou números de pessoas que participou do protesto. Durante a concentração, no trio elétrico, foram anunciados os nomes dos deputados federais que votaram a favor da reforma da Previdência."

A matéria ainda destaca as falas dos estudantes: "para Manuella Mirella, 23, da UNE Pernambuco, o governo criou um problema e está vendendo a solução. 'O Future-se não resolve o problema da educação, pelo contrário, visa privatizar a educação e excluir o povo da universidade. A gente quer falar para os estudantes que essa solução desse projeto não é a que a gente quer. Queremos o dinheiro da educação hoje. O governo criou o problema e está vendendo a solução e é muito cara essa solução. Não cabe no bolso do trabalhador brasileiro', disse."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247