Movimentos sociais bloqueiam acesso à base de Alcântara

Em um dia marcado por protestos e ocupações do MST, representantes de movimentos sociais bloquearam o acesso ao Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão, contra a entrega da base para os EUA; de acordo com o MST, cerca de 400 pessoas de diversas entidades e movimentos do país fecharam os acessos da base para denunciar a retomada dos acordos com o país norte-americano, que pedem a entrega do centro de lançamento de foguetes; movimentos afirmam que o presidente Michel Temer adota uma “política de entreguismo”, com o aprofundamento de privatizações e outras ações que atacam a soberania nacional

Em um dia marcado por protestos e ocupações do MST, representantes de movimentos sociais bloquearam o acesso ao Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão, contra a entrega da base para os EUA; de acordo com o MST, cerca de 400 pessoas de diversas entidades e movimentos do país fecharam os acessos da base para denunciar a retomada dos acordos com o país norte-americano, que pedem a entrega do centro de lançamento de foguetes; movimentos afirmam que o presidente Michel Temer adota uma “política de entreguismo”, com o aprofundamento de privatizações e outras ações que atacam a soberania nacional
Em um dia marcado por protestos e ocupações do MST, representantes de movimentos sociais bloquearam o acesso ao Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão, contra a entrega da base para os EUA; de acordo com o MST, cerca de 400 pessoas de diversas entidades e movimentos do país fecharam os acessos da base para denunciar a retomada dos acordos com o país norte-americano, que pedem a entrega do centro de lançamento de foguetes; movimentos afirmam que o presidente Michel Temer adota uma “política de entreguismo”, com o aprofundamento de privatizações e outras ações que atacam a soberania nacional (Foto: Leonardo Lucena)

Jornal GGN - Em um dia marcado por protestos e ocupações do MST, representantes de movimentos sociais bloquearam o acesso ao Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão. Os militantes defendem a soberania brasileira e protestam contra a entrega da base para os Estados Unidos.
 
De acordo com o MST, cerca de 400 pessoas de diversas entidades e movimentos do país fecharam os acessos da base para denunciar a retomada dos acordos com os Estados Unidos, que pedem a entrega do centro de lançamento de foguetes.
 
Os movimentos afirmam que o presidente Michel Temer adota uma “política de entreguismo”, com o aprofundamento de privatizações e outras ações que atacam a soberania nacional.
 
Além disso, a questão da Base de Alcântara levanta preocupações entre as comunidades quilombolas da região, já que uma eventual ampliação de um programa espacial pode atingir mais de 200 comunidades, causando remoções e despejos. Nos anos 1980 e 1990, diversas comunidades foram removidas, mas as famílias não receberam indenizações. 
 
Os debates sobre a base de lançamento de foguetes no Maranhão tiveram início nos anos 80, com as primeiras instalações do Centro Espacial. Para os movimentos, a retomada dos acordos com os EUA para a utilização da base é considerada uma “traição ao povo brasileiro”. 
 
Outras mobilizações
 
Nesta terça-feira(25), o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra realizam diversas ações no Dia do Trabalhador Rural. Foram ocupadas propriedades ligadas a Blairo Maggi, ministro da Agricultura, Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, a ao Coronel Lima, amigo pessoal de Michel Temer. 
 
Os Sem Terra pedem que as fazendas relacionadas a casos de corrupção sejam desapropriadas e destinadas para o assentamento de famílias. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247