MP e TCE investigam prefeito de Tamandaré por cargo público a doméstica

Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE) e o Ministério Público (MPPE) decidiram buscar mais informações sobre a nomeação de Mirtes de Souza na prefeitura comandada por Sérgio Hacker. Ela era lotada como Gerente de Divisão na manutenção das “atividades de administração”, com o salário bruto de R$ 1.093,62

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Do Metrópoles - O silêncio do prefeito de Tamandaré (PE), Sérgio Hacker (PSB), continua. Patrão de Mirtes Renata Santana de Souza, que perdeu o filho Miguel Otávio, 5 anos, na terça-feira (02/06), após o menino cair do 9º andar do prédio da família do político, ele ainda não explicou por que o nome da empregada doméstica de sua casa em Recife consta como servidora comissionada desde 2017 da folha de pagamento da prefeitura que comanda, na cidade distante 100 km da capital pernambucana. Mas os órgãos oficiais de controle já abriram investigação para confirmar se há irregularidades na nomeação.

Tanto o Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) quanto o Ministério Público (MPPE) decidiram buscar mais informações sobre o caso. O cargo de Mirtes na prefeitura é de Gerente de Divisão na manutenção das “atividades de administração”, com o salário bruto praticamente igual ao mínimo, R$ 1.093,62.

A Promotoria de Justiça de Tamandaré instaurou nesta sexta-feira (05/06) um inquérito civil para apurar possível prática de improbidade administrativa do prefeito Sérgio Hacker.

Continue lendo no Metrópoles.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247