Mulher é resgatada no Grande Recife após trabalhar 43 anos em condições análogas à escravidão

A mulher, hoje com 54 anos, foi entregue à família para a qual trabalhava, ainda criança, pelo pai

www.brasil247.com -
(Foto: ABR)


247 - O Ministério Público do Trabalho (MPT) resgatou uma mulher que trabalhou 43 anos como empregada doméstica em condições análogas à escravidão. De acordo com o Grupo Especial de Fiscalização Móvel (GEFM), o resgate aconteceu na Região Metropolitana do Recife e a mulher, hoje com 54 anos, foi entregue à família, ainda criança, pelo pai.

Segundo o Metrópoles, um outro ponto que reforçou a caracterização do trabalho forçado foi a retenção dos documentos da mulher pelos patrões. “A fiscalização constatou que a vítima exercia as atividades de empregada doméstica e de babá em todos os turnos do dia, sem receber salário, possuir qualquer vínculo empregatício ou ter acesso a benefícios já convencionados, como férias, folgas ou recolhimento previdenciário”, ressalta a reportagem.

Após a autuação, a família para a qual a mulher trabalhava assinou um termo de ajuste de conduta (TAC) e se comprometeu a regularizar a situação da empregada, assinando a Carteira de Trabalho com data de admissão em 1979, além de pagar uma indenização de R$ 250 mil e três parcelas do Seguro-Desemprego do Trabalhador Resgatado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email