Nordestinos começam a processar Bolsonaro por racismo

O advogado Antonio Carlos Fernandes, do Ceará, protocolou no STF uma ação contra Jair Bolsonaro por ele ter se referido aos governadores do Nordeste como "governadores de paraíba"; ele diz que Bolsonaro usou o termo para se referir aos nordestinos "em tom jocoso, traduzindo desprezo e menoscabo, tendo cometido, inequivocamente, crime de injúria"

(Foto: ADRIANO MACHADO - REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente Jair Bolsonaro poderá responder pelos crimes de racismo e injúria, por conta dos ataques ao povo nordestino e ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), proferidos por ele. 

Segundo informaçoes do jornal O Globo, o advogado Antonio Carlos Fernandes, do Ceará, protocolou no Supremo Tribunal Federal ( STF ) uma ação contra Bolsonaro por ele ter se referido aos governadores do Nordeste como "governadores de paraíba" . 

Segundo Fernandes, o presidente se portou de forma racista e preconceituosa e diz que Bolsonaro usou o termo para se referir aos nordestinos "em tom jocoso, traduzindo desprezo e menoscabo, tendo cometido, inequivocamente, crime de injúria". 

"Sem dúvida o presidente da República excedeu-se, de forma gravosa, em seu destempero verbal, expressando um sentimento racista, discriminatório e preconceituoso em relação à procedência nacional dos nordestinos".

"As falas, as palavras e até os gestos praticados pelos presidentes da República têm o condão de induzir, de incitar práticas semelhantes pelos seus seguidores", acrescenta o advogado. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247