”O presidente debocha da democracia”, diz deputado sobre presença de Bolsonaro em ato pró-AI-5

Vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA) classificou como atitude de “miliciano” o posicionamento do presidente: “Bolsonaro partiu para a pregação aberta contra a democracia"

Márcio Jerry
Márcio Jerry (Foto: Jailson Sam/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA), criticou neste domingo (19) o discurso de Jair Bolsonaro (sem partido) durante uma manifestação que pedia o fechamento do Congresso e intervenção militar em Brasília. O parlamentar classificou como atitude de “miliciano” o posicionamento do presidente da República.

“Bolsonaro partiu para a pregação aberta contra a democracia. Caso gravíssimo de crime de responsabilidade. Debocha da democracia, agride os demais poderes da República e se coloca como miliciano da ruptura na ordem constitucional. Uma atitude inaceitável! Repúdio veemente!”, disse o deputado.

Contrariando as orientações da isolamento social da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar a propagação do coronavírus, Bolsonaro reuniu dezenas de simpatizantes que se aglomeraram na Esplanada dos Ministérios. Em cima de uma caminhonete, ele disse a seus apoiadores que "não vai negociar nada" e voltou a criticar o que chamou de “velha política”, mesmo oferecendo cargos ao chamado “centrão” para formar base ao parlamento.

Antes do pronunciamento, os militantes gritaram “Mito”, "AI-5" e "Fora, Maia", em referência ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Um homem chegou a berrar várias vezes “Fecha o Congresso, o STF”.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247