PF diz que filho de Edison Lobão repassou propina

A Polícia Federal (PF) encontrou foi até à casa e ao escritório de Márcio Lobão, filho do senador Edison Lobão (PMDB-MA), e encontrou R$ 40 mil em várias moedas, juntando as quantias encontradas nas duas localidades; ao deflagrar a Operação Leviatã, a PF apura corrupção nas obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira, no Pará; outro alvo foi o ex-senador Luiz Otávio Campos, apadrinhado político do senador Jader Barbalho (PMDB-PA); foram encontrados R$ 135 em espécie na casa dele

A Polícia Federal (PF) encontrou foi até à casa e ao escritório de Márcio Lobão, filho do senador Edison Lobão (PMDB-MA), e encontrou R$ 40 mil em várias moedas, juntando as quantias encontradas nas duas localidades; ao deflagrar a Operação Leviatã, a PF apura corrupção nas obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira, no Pará; outro alvo foi o ex-senador Luiz Otávio Campos, apadrinhado político do senador Jader Barbalho (PMDB-PA); foram encontrados R$ 135 em espécie na casa dele
A Polícia Federal (PF) encontrou foi até à casa e ao escritório de Márcio Lobão, filho do senador Edison Lobão (PMDB-MA), e encontrou R$ 40 mil em várias moedas, juntando as quantias encontradas nas duas localidades; ao deflagrar a Operação Leviatã, a PF apura corrupção nas obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira, no Pará; outro alvo foi o ex-senador Luiz Otávio Campos, apadrinhado político do senador Jader Barbalho (PMDB-PA); foram encontrados R$ 135 em espécie na casa dele (Foto: Leonardo Lucena)

Maranhão 247 - A Polícia Federal (PF) encontrou, nessa quinta-feira (17), foi até à casa e ao escritório de Márcio Lobão, filho do senador Edison Lobão (PMDB-MA), e encontrou R$ 40 mil em várias moedas, juntando as quantias encontradas nas duas localidades. Ao deflagrar a Operação Leviatã, a PF apura corrupção nas obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira, no Pará. Outro alvo foi o ex-senador do PMDB Luiz Otávio Campos, apadrinhado político do senador Jader Barbalho (PMDB-PA).

Em delação premiada, o ex-senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) afirmou que 1% do valor do contrato da usina ficou com o PMDB. Segundo o ex-parlamentar, Jader e Lobão exerciam influência sobre várias estatais e grandes obras, entre elas a usina no Rio Xingu, no Pará. 

Outro delator, o ex-diretor da Andrade Gutierrez Flávio Barra, integrante do consórcio construtor de Belo Monte, afirmou que entre R$ 4 milhões e R$ 5 milhões foram repassados ao senador Edison Lobão pelas obras de Angra 3 (RJ) e R$ 600 mil da usina no Pará. De acordo com o delator, o valor relacionado a Belo Monte foi entregue, em espécie, na casa de Márcio Lobão.

A PF também encontrou R$ 135 mil na casa do ex-senador Luiz Otávio Campos.

No inquérito da operação, autorizada pelo relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, também são investigados os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL), Romero Jucá (PMDB-RR) e Valdir Raupp (PMDB-RO). Todos negaram participação nas irregularidades.

 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247