“Preconceito e desrespeito”: deputado do Maranhão resume visita de Bolsonaro ao estado

Bolsonaro fez piada homofóbica contra maranhenses. Presidente do PCdoB Maranhão, deputado federal Márcio Jerry (MA), repudiou o comportamento e recordou a falta de obras na região

Marcio Jerry e Bolsonaro no Maranhão
Marcio Jerry e Bolsonaro no Maranhão (Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados | Alan Santos/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Não foi preciso muito tempo na cronometrada agenda de pouco mais do que oito horas a ser cumprida em território maranhense nesta quinta-feira (29) para que Jair Bolsonaro (sem partido) se envolvesse em outra das suas frequentes polêmicas. Em meio a uma grande aglomeração de pessoas e sem usar máscara, o presidente se divertiu com a cor rosa de um Guaraná Jesus, a bebida típica do estado, e aproveitou para fazer mais uma piada homofóbica que agora passa a contar na sua lista de gafes.

"Agora eu virei boiola. Igual maranhense, é isso?", disse o presidente entre risos. "Guaraná cor-de-rosa do Maranhão aí, quem toma esse guaraná aqui vira maranhense", emendou depois Bolsonaro, mostrando a bebida a apoiadores. 

Sem deixar passar, o presidente do PCdoB Maranhão, deputado federal Márcio Jerry (MA), repudiou o comportamento do mandatário e recordou a falta de obras a serem inauguradas pelo governo federal na região.

“Na agenda de Bolsonaro aqui no Maranhão tinha inauguração de tapa buracos e de  um panelódromo. Aí ele aproveitou a vinda para proferir piada homofóbica contra maranhenses. Escolheu o estado para agredir com homofobia. Preconceito e desrespeito”, definiu o parlamentar, antes de emendar sua avaliação da visita: “As fotos de Bolsonaro no Maranhão o mostram em total desrespeito ao nosso povo. Sem máscara e fazendo piadinha preconceituosa. Um estúpido, nosso repúdio”, finalizou Jerry, atual vice-líder do partido na Câmara. 

Comitiva bolsonarista

Ciceroneado pelo senador Roberto Rocha (PSDB), que já foi sarneyzista, tucano, socialista e agora é bolsonarista, o ex-capitão reformado do Exército visitou quatro municípios onde teve expressiva votação nas eleições de 2018.  Apesar do pouco tempo, a visita mobilizou um enorme aparato de segurança. Em campanha antecipada para 2022, durante a passagem, a “caravana” bolsonarista também intensificou o apoio a Eduardo Braide (Podemos), candidato à prefeitura de São Luís.

Além de Rocha, a comitiva de “boas-vindas” a Bolsonaro foi formada pelos deputados federais Aluísio Mendes (PSC), Cléber Verde (Republicanos), Edilázio Júnior (PSD), Juscelino Filho (DEM) e Pastor Gildenemyr (PL). 

Enquanto isso...

Paralelamente, o governador Flávio Dino, a quem Bolsonaro costuma atacar, não foi convidado pelo presidente para agendas conjuntas. Dino aproveitou o dia para inaugurar um campus da Universidade Estadual do Maranhão na cidade de São Bento e duas escolas. Também lançou as obras da universidade em outro município, São João dos Patos.

Sobre a visita, o governador disse que Bolsonaro agiu com a "habitual falta de educação e decoro" enquanto esteve no estado e anunciou que irá processá-lo. "E o mais grave: usou dinheiro público para propaganda politica. Será processado", afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247