PT repudia cassação de aposentadoria de Sérgio Gabrielli: atenta contra dignidade humana

"O que está em curso é a contínua utilização das instituições da República para perseguir adversários, dificultando-lhes a vida, o sustento, atentando contra a própria dignidade humana", diz o diretório do PT em Salvador sobre a decisão da CGU que cassou a aposentadoria do ex-presidente da Petrobras

(Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A direção do PT em Salvador repudiou nesta quarta-feira (25), em nota, a cassação da aposentadoria do ex-presidente da Petrobrás José Sérgio Gabrielli pelo governo de Jair Bolsonaro. 

"A grave cassação persecutória, sem embasamento legal, da aposentadoria de um servidor público prenuncia a estratégia de se tentar naturalizar este tipo de prática", diz o PT na nota. 

"O que está em curso é a contínua utilização das instituições da República para perseguir adversários, dificultando-lhes a vida, o sustento, atentando contra a própria dignidade humana", acrescenta o partido. 

A determinação sobre a cassação da aposentadoria de Gabrielli foi publicada no Diário Oficial da União de terça (24), sob o argumento de que o ex-presidente da estatal teria supostamente cometido “infrações disciplinares à frente do cargo”. Gabrielli comandou a estatal entre 2005 e 2012, durante as gestões Lula e Dilma (leia mais no Brasil 247).

Leia, abaixo, a nota na íntegra:

A executiva Municipal do Partido dos Trabalhadores – PT de Salvador vem, por meio desta nota, prestar toda sua solidariedade e apoio incondicional ao companheiro José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobrás, que teve a sua aposentadoria – fruto unicamente de 36 anos dedicados ao magistério na Universidade Federal da Bahia –, cassada pelo governo autoritário de Jair Bolsonaro. Essa é mais uma de várias ações coordenadas de perseguição deste desgoverno aos lutadores e defensores dos direitos do povo brasileiro e da soberania nacional.

A grave cassação persecutória, sem embasamento legal, da aposentadoria de um servidor público prenuncia a estratégia de se tentar naturalizar este tipo de prática. Gabrielli presidiu a Petrobrás entre os anos de 2005 a 2012, nos governos de Lula e Dilma, com maestria e compromisso com a maior estatal de nosso país. Foi responsável por um período exitoso em que a Petrobrás cresceu, avançou e lucrou. Neste período descobrimos o pré-sal e a Petrobrás deu um salto gigantesco para o futuro, sem perder a responsabilidade social e prioridade com a educação, saúde e desenvolvimento do Brasil. Diferente do tempo que vivemos hoje, nestes governos o povo brasileiro sentia orgulho de nosso país, com distribuição de renda e economia aquecida.

O que está em curso é a contínua utilização das instituições da República para perseguir adversários, dificultando-lhes a vida, o sustento, atentando contra a própria dignidade humana. Exortamos o conjunto das instituições que devem zelar por uma sociedade democrática a repudiarem tal perseguição. Aceitar a cassação do direito de um servidor público, que em seu currículo só tem linhas de bons serviços prestados, é abrir o caminho para que outras e outros, que por apenas terem servido ao Brasil e não comungarem com o vil entreguismo de lesa pátria que hora governa o país, sejam também duramente perseguidos.

Saudações Petistas
Executiva Municipal do PT-Salvador

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247