Renan Calheiros: STF acerta ao querer saber quem cometeu crimes com dados do Coaf

Para o senador Renan Calheiros (MDB-AL), o STF e o TCU estão certos em investigar quem do MPF, da Receita e do Coaf "cometeu crimes na execução de suas atividades públicas". "Na democracia, não há como fechar os olhos para essa delinquência, praticada, muitas vezes, com objetivos pessoais e políticos", escreveu Renan pelo Twitter

Renan Calheiros
Renan Calheiros (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O senador Renan Calheiros elogiou neste sábado (16) a decisão do  presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, que negou o pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras, para revogar a entrega e o acesso de dados financeiros de 600 mil pessoas e empresas coletados pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), atual Unidade de Inteligência Financeira (UIF), nos últimos três anos.

"O @STF_oficial e o @TCUoficial estão certos em querer saber quem do MPF, da Receita e do #Coaf cometeu crimes na execução de suas atividades públicas. Na democracia, não há como fechar os olhos para essa delinquência, praticada, muitas vezes, com objetivos pessoais e políticos", escreveu Renan pelo Twitter.

Na decisão, Toffoli refutou o argumento de Aras de que o acesso aos dados seria “desproporcional e invasivo”. Segundo o presidente do Supremo, a própria Receita Federal concedeu acesso à autoridade policial, ao Ministério Público e à Justiça, antes de o Supremo requerer dos dados (Leia mais no Brasil 247).

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247