800 PMs varrem o Rio para novas UPPs

Ontem foi a Polcia Civil, nesta sexta-feira, a vez da PM; operaes acontecem ao mesmo tempo nas zonas norte e oeste do Rio, alm de Niteri e Duque de Caxias; preparam terreno para novas pacificaes, sem deixar que criminosos migrem para outros esconderijos

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em clara ação de mudança de estratégia da Secretaria de Segurança do Estado, nesta sexta-feira (26) é a vez da Polícia Militar varrer o Rio de Janeiro. Ontem a Polícia Civil fez arrastão nas comunidades do Jacarezinho e do Complexo da Maré. Desde o início da madrugada desta sexta, 800 homens da Polícia Militar fazem operações em favelas da região metropolitana, da capital e da Baixada Fluminense, com objetivo de preparar o terreno para novas ocupações de pacificação.

De acordo com a área de comunicação social da PM, ações visam evitar fuga de bandidos para outras localidades do Complexo do Alemão e da Penha. Nesta área da zona norte carioca estão 400 homens que percorrem os morros da Baiana e do Adeus em busca de criminosos escondidos nos morros. A ação também marca a substituição de parte das tropas do Exército nas duas comunidades no processo de instalação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), sem data marcada ainda para acontecer. Segundo a PM, até o meio da manhã, apenas fios que eram usados para a distribuição irregular de TV a cabo, numa central clandestina, foram apreendidos.

"Estamos rastreando os fios para tentar encontrar a central", explicou o coronel Frederico Caldas, relações públicas da corporação.

Outros 400 policiais estão em pelo menos 14 comunidades no estado, segundo a PM. Operações no Jacarezinho, na Favela do Mandela, em Manguinhos, no Parque União e Nova Holanda, no Complexo da Maré, nos morros da Serrinha, Engenho e Chapadão, todos no subúrbio.

Também estão na zona oeste. Na Favela da Metral, na Vila Kennedy e em Antares policiais fazem varredura. Em Niterói, PMs ocupam o Morro do Caramujo, e em São Gonçalo, a polícia faz operação no Morro do Salgueiro; em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a ação acontece na favela Mangueirinha.

"Monitoramos esses pontos onde podia haver uma migração de traficantes. Estamos fazendo operações que começaram às 6 horas", disse Caldas. A PM fez um mapeamento para agir.

Quatro horas após o início das operações, quatro suspeitos haviam sido detidos nas comunidades do Alemão. Em Antares e Mangueirinha, mais quatro foram detidos. Segundo o major Ivan Blaz, porta-voz da corporação, dois suspeitos foram detidos na Favela de Antares. Uma pistola e drogas foram apreendidas. Houve confronto na chegada dos policiais, mas não havia informações sobre feridos.

Já na Mangueirinha, em Caxias, outros dois suspeitos foram detidos, segundo a polícia.

Mais de 4 mil alunos sem aulas

Mais de 4.700 alunos da rede pública municipal estão sem aula, na manhã desta sexta-feira por causa das operações, no Morro do Chapadão, em Costa Barros, no subúrbio. De acordo com a Secretaria municipal de Educação, nove unidades, entre elas, três creches, estão fechadas por medida de segurança. Ao todo, são 4.737 alunos sem aulas.

(com informações do portal G1)

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email