Alerj impede na Justiça que Petrobrás aumente o preço do gás natural de modo abusivo

O presidente da Alerj, deputado Andre Ceciliano (PT), comemorou a decisão

www.brasil247.com - André Ceciliano
André Ceciliano (Foto: Rayza Hanna (Divulgação-Alerj))


Agenda do Poder – Por solicitação da Assembleia Legislativa do Rio, o juiz de plantão do Tribunal de Justiça Andre Felipe Tredinnick  concedeu, nesta terça-feira, liminar suspendendo o aumento de 50% do preço do gás natural fornecido pela Petrobras à Naturgy. Abusiva, a medida teria enorme impacto nos consumidores domiciliares, proprietários de carros a gás e na indústria de modo geral.

O presidente da Alerj, deputado Andre Ceciliano (PT), comemorou a decisão.

– Essa política de preços da Petrobras, que produz em real e cobra em dólar, é ótima para os acionistas da empresa e para o Governo Federal que detém a maioria das ações, mas é péssima para o povo que não tem como suportar tamanho aumento e um fator que hoje impede a retomada do desenvolvimento do estadoe. Não é possível que seja mantida essa escalada de preços – afirmou

Na decisão, a magistrado afirma que a Petrobras  “pretende impor aumento abusivo, o que vulnera os direitos coletivos do consumidor, hava vista que se trata de insumo essencial.

Em seguida, o juiz critica “a busca desmedida do lucro, na consagração de um sistema econômico perverso”. E continua: “Essa prática vulnera os direitos humanos previstos na Constituição Federal, que coloca a dignidade da pessoa humana em suas necessidades básicas, como a da vida, a saúde e a existência condigna, acima de interesses privados opostos aos interesses da coletividade”.

A pedido do presidente André Ceciliano, a ação inicial foi formulada pelo procurador-geral da Casa, Sérgio Pimentel.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email