Algozes de dançarino estão mais perto da cadeia

Acusados de matar o "Rei dos Passinhos" podem ser presos a qualquer momento; priso preventiva de trs suspeitos foi decretada hoje pela Justia do Rio; Galter Damasceno Rocha foi morto em 1 de janeiro, em Manguinhos, com requintes de crueldade

Agência Rio - A Justiça do Rio decretou a prisão preventiva e recebeu a denúncia contra Paulo César Pereira da Silva, José Antônio Ferreira Dias e Carlos Emílio Siqueira, acusados de matar Gualter Damasceno Rocha, o Gambá, mais conhecido como o “Rei dos Passinhos”. A decisão do juiz Jorge Luiz Le Cocq D’Oliveira, da 2ª Vara Criminal da Capital, foi divulgada nesta sexta-feira (9). O dançarino foi morto na madrugada de 1º de janeiro e enterrado como indigente três dias depois.

De acordo com o magistrado, a autoria já está suficientemente indiciada pelas declarações das testemunhas ouvidas durante o inquérito, além de os próprios acusados terem confessado o crime na presença de seus advogados. Para ele, o crime foi praticado com extrema violência e crueldade, o que afronta a ordem pública.

“A autoria está suficientemente indiciada pelas declarações das testemunhas inquiridas, bem como pelos próprios relatos dos acusados, na presença de seus Advogados. A par da repercussão que teve o evento, o crime foi praticado com extrema violência e crueldade, sofrendo a vítima asfixia mecânica, o que afronta a ordem pública e exige pronta resposta estatal”, concluiu o magistrado.

Segundo consta na ação, o juiz, ao decretar a prisão preventiva, considerou as ponderações feitas no inquérito, que relatam serem as testemunhas pessoas vizinhas, conhecidas e residentes da mesma localidade, o que poderia ocasionar a intimidação, caso os réus não fossem mantidos presos.

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247