André Do Rap ofereceu R$ 10 milhões à polícia de SP para não ser preso

Solto após decisão do STF, o traficante André Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap, ofereceu inicialmente R$ 4 milhões para não ser preso. Outros R$ 6 milhões seriam dados a autoridades em 48 horas, após ser detido em setembro de 2019 em Angra dos Reis (RJ)

Traficante André do Rap, um dos chefes do PCC, é solto por ordem do STF
Traficante André do Rap, um dos chefes do PCC, é solto por ordem do STF (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Membro do da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), o traficante André Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap, ofereceu R$ 10 milhões ao delegado Fabio Pinheiro Lopes, da Divisão Antissequestro do Departamento de Operações Policiais, em setembro de 2019, quando foi preso em Angra dos Reis (RJ).

De acordo com a coluna de Lauro Jardim, o governo de São Paulo, comandado por João Doria (PSDB), informou que o criminoso ofereceu R$ 4 milhões naquele momento e prometeu mais R$ 6 milhões em 48 horas. 

O criminoso cumpria prisão preventiva em uma penitenciária em Presidente Venceslau (SP), mas já tinha condenação em primeira instância a 14 anos de prisão. A pena foi reduzida na segunda instância a 10 anos de prisão.

André do Rap é acusado de tráfico de drogas, associação para o tráfico, financiamento de narcotráfico. Ele também seria o administrador de um esquema de exportação de drogas para a Europa.

O traficante foi solto no sábado (10) após decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio. De acordo com o jurista, a prisão preventiva do traficante por mais de um ano desrespeita o previsto na lei. 

"O paciente [Macedo] está preso, sem culpa formada, desde 15 de dezembro de 2019, tendo sido a custódia mantida, em 25 de junho de 2020, no julgamento da apelação. Uma vez não constatado ato posterior sobre a indispensabilidade da medida, formalizado nos últimos 90 dias, tem-se desrespeitada a previsão legal, surgindo o excesso de prazo", diz o ministro em sua decisão.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247