Após 13 dias, manifestantes deixam Câmara do Rio

A desocupação ocorreu de forma pacífica e foi decorrente de uma ordem judicial do desembargador Fernandy Fernandes; segundo o advogado dos manifestantes, Felipe Coelho, eles entraram com pedido de suspensão da decisão

RIO DE JANEIRO,RJ,21.08.2013:REINTEGRAÇÃO DE POSSE/CÂMARA/MANIFESTANTES - Manifestantes deixam a Câmara dos Vereadores no Rio de Janeiro (RJ), na tarde desta quarta-feira (21). A Justiça concedeu uma ordem de reintegração de posse da Câmara nesta terça-fe
RIO DE JANEIRO,RJ,21.08.2013:REINTEGRAÇÃO DE POSSE/CÂMARA/MANIFESTANTES - Manifestantes deixam a Câmara dos Vereadores no Rio de Janeiro (RJ), na tarde desta quarta-feira (21). A Justiça concedeu uma ordem de reintegração de posse da Câmara nesta terça-fe (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio247 – Após 13 dias de ocupação, os manifestantes deixaram a Câmara Municipal do Rio de Janeiro por volta das 14h15 desta quarta-feira (21) de forma pacífica. A desocupação ocorreu um dia antes da primeira audiência da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Ônibus. A saída do Legislativo Municipal foi decorrente de uma ordem judicial do desembargador Fernandy Fernandes, da 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, que atendeu ao pedido da Casa, na noite desta terça-feira (20), visando à reintegração de posse do Parlamento. Segundo o advogado dos manifestantes, Felipe Coelho, eles entraram com pedido de suspensão da decisão.

Ao justificar a sua conduta, o magistrado alegou que a Câmara de Vereadores "é do povo e que os cidadãos podem e devem nelas ingressar encaminhando suas reivindicações e propostas, uma vez que um dos pilares do Estado de Direito é o dever à prestação de contas". Mas, para Fernandes, a ocupação ocorreu de maneira desordenada, de acordo com
informações da assessoria do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

"Do que se depreende do atual estado das coisas, fartamente noticiado pela mídia, não se cuida de cidadãos que ingressam nas galerias do plenário, no horário reservado ao acesso público para defender sua ideologia e reivindicar seus anseios políticos e sociais, mas ocupação desordenada, prejudicando o desenvolvimento das atividades parlamentares", disse o magistrado.

No último dia 9, oito manifestantes ocuparam a sede da Câmara de Vereadores pedindo a saída do parlamentar Chiquinho Pezão (PMDB). O peemedebista não assinou o requerimento para a instalação da CPI dos Ônibus. Para evitar possíveis transtornos durante a sessão, que tem início nesta quinta-feira (22), a Casa terá policiamento reforçado.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email