Após decisão do STF, aliado de Picciani toma posse

Vereador licenciado, o suplente Átila Nunes (RJ) assumiu o mandato de deputado federal no lugar de Ezequiel Teixeira (PMDB-RJ), nomeado secretário pelo governador do Rio, Luiz Fernando Pezão; cerimônia de posse ocorreu no gabinete do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, após determinação do STF; Cunha havia se recusado a empossar Nunes em dezembro

Vereador licenciado, o suplente Átila Nunes (RJ) assumiu o mandato de deputado federal no lugar de Ezequiel Teixeira (PMDB-RJ), nomeado secretário pelo governador do Rio, Luiz Fernando Pezão; cerimônia de posse ocorreu no gabinete do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, após determinação do STF; Cunha havia se recusado a empossar Nunes em dezembro
Vereador licenciado, o suplente Átila Nunes (RJ) assumiu o mandato de deputado federal no lugar de Ezequiel Teixeira (PMDB-RJ), nomeado secretário pelo governador do Rio, Luiz Fernando Pezão; cerimônia de posse ocorreu no gabinete do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, após determinação do STF; Cunha havia se recusado a empossar Nunes em dezembro (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 – O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), resistiu, mas foi obrigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a empossar como deputado um aliado do líder Leonardo Picciani (PMDB-RJ), que apoia o governo da presidente Dilma Rousseff.

Suplente, o vereador licenciado Átila Nunes (RJ) assumiu o lugar do deputado Ezequiel Teixeira (PMDB-RJ), que foi nomeado pelo governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, como secretário da Assistência Social e Direitos Humanos do Estado.

Cunha se recusou a empossar Nunes em dezembro alegando que ele exercia o cargo de vereador. O suplente entrou com um mandado de segurança no STF argumentando que já havia se licenciado do cargo. A resposta do presidente da corte, Ricardo Lewandowski, foi de que para um suplente, a licença era suficiente.

A cerimônia de posse ocorreu no gabinete de Cunha e durou mais de uma hora. Átila Nunes chega para reforçar o apoio ao líder da bancada do PMDB na Casa, Leonardo Picciani, que chegou a ser destituído do cargo por dez dias em 2015.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247