Após saber que poderia ser presa, mulher que espalhou fake news de caixão se apresenta

Polícia Civil chegou a pedir ajuda para identificar a mulher que acusava autoridades a enterrar pedras e pedaços de pau no lugar de supostas vítimas

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Depois de a Polícia Civil de Minas Gerais pedir ajuda para identificar a autora de um vídeo em que ela acusa autoridades de terem enterrado caixões em Belo Horizonte com pedras e pedaços de pau no lugar de supostas vítimas de covid-19, ela mesma resolveu aparecer. Por meio do advogado Alexsander Ribeiro, Valdete Pereira Zanco se identificou, reconheceu ter errado e se desculpou pelo ocorrido. A informação é do portal Corrreo brasiliense. 

“Ela havia visto no Facebook um fato ocorrido em Belo Horizonte no qual caixões com pedras e pedaços de madeira haviam sido desenterrados. Na data da gravação do vídeo, no interior da loja onde trabalha, ela recebeu um cliente que coincidentemente fez os mesmos comentários, o que a fez julgar o ocorrido como verdade”, explica Ribeiro, em nota divulgada no fim da tarde desta terça-feira.

O advogado também informa que ela se apresentou à polícia. 

Pela manhã, o delegado Wagner Sales, chefe do 1° Departamento de Policia Civil em BH, chegou a cogitar a prisão preventiva da autora, mesmo sem tê-la identificado. Além disso, lembrou que ela poderia ser acusada de crime de denunciação caluniosa, difamação contra autoridade pública e contravenção penal de provocação de tumulto ou pânico. “As penas para esses casos, somadas, podem chegar a nove anos de prisão, além de multa”, disse ele, sem saber que Valdete já havia se apresentado em uma delegacia.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247