Assembleia Legislativa do Rio vai ao STF contra privatização da Eletrobrás

Ação assinada pelo presidente da Alerj, André Ceciliano, argumenta que o chamado “jabuti das térmicas” vai prejudicar o Estado do Rio, que é o maior produtor de gás do país

www.brasil247.com - André Ceciliano e Eletrobrás
André Ceciliano e Eletrobrás (Foto: Vitor Soares/Alerj | ABr)


247 - A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) ingressou no Supremo Tribunal Federal (STF) com ação questionando o processo de privatização da Eletrobrás. Em petição assinada pelo presidente da Alerj, deputado André Ceciliano, os deputados argumentam que o chamado “jabuti das térmicas” vai prejudicar o Estado do Rio, que é o maior produtor de gás do país, além de encarecer a conta de luz de todos os brasileiros.

“Essas construções implicarão ônus elevado para todos os consumidores de energia elétrica, determinando, com o devido respeito, privilégios para alguns empreendimentos, um desenho ineficiente e inadequação de contratações de geração de energia termelétrica, as quais deveriam ser baseadas em eficiência e na busca da modernização do mercado”, afirma a petição assinada pelo presidente da Alerj, André Ceciliano (PT-RJ).

Segundo a revista Veja, o jabuti incluído na lei que permitirá a privatização da estatal prevê a construção de novas usinas térmicas no Nordeste e no Centro-Oeste a serem contratadas pelo poder público, além da construção de uma malha de quilômetros de gasodutos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email