Berço de milícias, Zona Oeste do município do Rio já tem boca de urna e apreensão

Equipes do Departamento Geral de Polícia Especializada conduziram vários responsáveis pela boca de urna do candidato a vereador Marcello Siciliano (Progressistas) para a 36ª DP (Santa Cruz). O carro usado pela equipe também foi apreendido. Berço das milícias, a Zona Oeste do Rio tem nove dos dez bairros da capital com mais relatos ao Disque-Denúncia

Zona Oeste do Rio, berço de grupo milicianos, já tem pesquisa boca de urna e distribuição de santos
Zona Oeste do Rio, berço de grupo milicianos, já tem pesquisa boca de urna e distribuição de santos (Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Equipes do Departamento Geral de Polícia Especializada conduziram vários responsáveis pela boca de urna do candidato a vereador Marcello Siciliano (Progressistas) para a 36ª DP (Santa Cruz). O carro usado pela equipe também foi apreendido. Siciliano, que tenta a reeleição, tem sua atuação política voltada, principalmente, à Barra da Tijuca e ao Itanhangá.

Berço das milícias, bairros da Zona Oeste do Rio registram boca de urna durante a votação do primeiro turno, com distribuição de santinhos em vários locais, como a Praça Seca. Esta região da capital fluminense tem nove dos dez bairros do Rio com mais relatos ao Disque-Denúncia sobre a atuação de grupos paramilitares, de janeiro a setembro deste ano. Em primeiro lugar, Campo Grande (197 denúncias), seguido de Jacarepaguá (171) e Santa Cruz (163). Esses nove bairros respondem por 51,5% das 2.928 denúncias sobre milícias feitas nesses nove meses, de acordo com o jornal O Globo

O candidato afirmou desconhecer a apreensão. "Trabalhei durante três anos e 11 meses. Sabem do meu trabalho. Não preciso pedir voto no dia das eleições. Não estava nem sabendo disso. O meu carro também tem material de campanha, que acabou sobrando. E aí? O importante é que esse material tenha nota e procedência conhecida", disse em referência ao veículo que foi apreendido.

Em outubro, Siciliano teve que depor para a Polícia Civil que investiga a ação da milícia nas eleições municipais no Rio. Os agentes apuram denúncias de que os grupos paramilitares impediam as campanhas dos adversários políticos em suas áreas de atuação, principalmente na Zona Oeste e na Baixada Fluminense. Ele negou envolvimento com grupos paramilitares.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email