Bolsonaro representa também um custo civilizatório, diz Fernando Haddad

Além das mortes e da devastação econômica, ele também atenta contra a civilização, aponta o ex-prefeito

Fernando Haddad
Fernando Haddad (Foto: Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – "É inestimável o custo civilizatório da Presidência de Jair Bolsonaro, um ser que não passa um dia sem provocar desavença. Esse custo não entra necessariamente no cálculo do PIB, embora provoque mal-estar para a maioria da população. O custo da má gestão da crise, entretanto, torna-se cada vez mais palpável com o passar do tempo", aponta o ex-prefeito de São Paulo, em sua coluna deste sábado.

"Estamos na mão de um tenente, expulso do Exército, humilhado nos bastidores até pelo seu ministro mais medíocre", lembra Haddad, ao comentar a disputa com o ministro Henrique Mandetta. 

"A demora em tomar resolutamente decisões coerentes, tanto na área da saúde quanto na área econômica, aumenta o custo da crise. E as disfunções de uma área agravam as disfunções da outra. O país está sem comando para lidar com um problema dessa dimensão. Se nada for feito, o custo Bolsonaro não será nada desprezível e ele já está contratado", finaliza Haddad.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247