Bretas cita Jesus ao rejeitar pedido de Cabral

O juiz federal Marcelo Bretas rejeitou um pedido da defesa de Sérgio Cabral para que o ex-governador permanecesse no Rio de Janeiro e não fosse transferido para um presídio federal no Mato Grosso do Sul; na curta decisão, Bretas ainda registrou que aceita "o pedido de escusas" de Cabral; magistrado diz que adota como "conduta o Princípio Cristão enunciado no Livro de Mateus, capítulo 18 versículos 21 e 22": "21. ... Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?" "22. Jesus lhe disse: Não te digo que até sete, mas até setenta vezes sete."

O juiz federal Marcelo Bretas rejeitou um pedido da defesa de Sérgio Cabral para que o ex-governador permanecesse no Rio de Janeiro e não fosse transferido para um presídio federal no Mato Grosso do Sul; na curta decisão, Bretas ainda registrou que aceita "o pedido de escusas" de Cabral; magistrado diz que adota como "conduta o Princípio Cristão enunciado no Livro de Mateus, capítulo 18 versículos 21 e 22": "21. ... Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?" "22. Jesus lhe disse: Não te digo que até sete, mas até setenta vezes sete."
O juiz federal Marcelo Bretas rejeitou um pedido da defesa de Sérgio Cabral para que o ex-governador permanecesse no Rio de Janeiro e não fosse transferido para um presídio federal no Mato Grosso do Sul; na curta decisão, Bretas ainda registrou que aceita "o pedido de escusas" de Cabral; magistrado diz que adota como "conduta o Princípio Cristão enunciado no Livro de Mateus, capítulo 18 versículos 21 e 22": "21. ... Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?" "22. Jesus lhe disse: Não te digo que até sete, mas até setenta vezes sete." (Foto: Aquiles Lins)

Rio 247 - O juiz federal Marcelo Bretas rejeitou um pedido da defesa de Sérgio Cabral para que o ex-governador permanecesse no Rio de Janeiro e não fosse transferido para um presídio federal no Mato Grosso do Sul.

Na curta decisão, Bretas ainda registrou que aceita "o pedido de escusas" de Cabral. O magistrado diz que adota como "conduta o Princípio Cristão enunciado no Livro de Mateus, capítulo 18 versículos 21 e 22": "21. ... Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?" "22. Jesus lhe disse: Não te digo que até sete, mas até setenta vezes sete."

Mais cedo, o STJ indeferiu um outro pedido da defesa para que o ex-governador não fosse transferido.

Veja a discussão que resultou na decisão de Bretas:

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247