Cantora trans denuncia agressão no Galeão: “mandaram tirar a roupa”

A cantora e vocalista da Banda Uó, Candy Melody, denunciou em suas redes sociais uma suposta agressão sofrida no Aeroporto Internacional Tom Jobim, mais conhecido como Galeão, localizado no Rio de Janeiro; "Meio que detida no Galeão, dois caras queriam me revistar porque meu documento estava no masculino", disse a vocalista da Banda Uó; "Eles não vão tocar em mim, eles trancaram a porta de uma cabine, mandaram eu tirar a roupa, eu não vou cooperar com isso. Não é piada, gente, é verdade", afirmou Mel  

A cantora e vocalista da Banda Uó, Candy Melody, denunciou em suas redes sociais uma suposta agressão sofrida no Aeroporto Internacional Tom Jobim, mais conhecido como Galeão, localizado no Rio de Janeiro; "Meio que detida no Galeão, dois caras queriam me revistar porque meu documento estava no masculino", disse a vocalista da Banda Uó; "Eles não vão tocar em mim, eles trancaram a porta de uma cabine, mandaram eu tirar a roupa, eu não vou cooperar com isso. Não é piada, gente, é verdade", afirmou Mel
 
A cantora e vocalista da Banda Uó, Candy Melody, denunciou em suas redes sociais uma suposta agressão sofrida no Aeroporto Internacional Tom Jobim, mais conhecido como Galeão, localizado no Rio de Janeiro; "Meio que detida no Galeão, dois caras queriam me revistar porque meu documento estava no masculino", disse a vocalista da Banda Uó; "Eles não vão tocar em mim, eles trancaram a porta de uma cabine, mandaram eu tirar a roupa, eu não vou cooperar com isso. Não é piada, gente, é verdade", afirmou Mel   (Foto: Aquiles Lins)

Rio 247 - A cantora e vocalista da Banda Uó, Candy Melody, denunciou em suas redes sociais uma suposta agressão sofrida no Aeroporto Internacional Tom Jobim, mais conhecido como Galeão, localizado no Rio de Janeiro.

De acordo com a artista, enquanto se preparava para realizar uma viagem a Brasília, onde realizaria o último show da banda, os funcionários do aeroporto mantiveram Melody "detida" por conta de seus documentos: "Meio que detida no Galeão, dois caras queriam me revistar porque meu documento estava no masculino", disse a vocalista da Banda Uó.

"Eles não vão tocar em mim, eles trancaram a porta de uma cabine, mandaram eu tirar a roupa, eu não vou cooperar com isso. Não é piada, gente, é verdade",afirmou Mel que se se tornou a primeira mulher trans a protagonizar a campanha Outubro Rosa da Avon pelos Stories do Instagram.

A cantora achou que se tratava de uma revista comum em suas bagens:"Eu só não fui mais coagida porque a equipe estava comigo", declarou a apresentadora do Estação Plural, programa voltada à comunidade LGBT da TV Brasil.

 

 

 

(*Com informações do Observatório dos Famosos)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247