Carlos Bolsonaro manteve cofre particular em banco e não declarou bens, mostram extratos bancários

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) manteve um cofre particular de 2007 a 2009 para guarda específica de bens no Banco do Brasil, mostram extratos bancários do “02”

Carlos Bolsonaro curte ataque de Olavo a Mourão nas redes sociais
Carlos Bolsonaro curte ataque de Olavo a Mourão nas redes sociais (Foto: Reprodução/Rede Social)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O “02”, filho de Bolsonaro, pagou o aluguel de um cofre dentro do Banco do Brasil durante dois anos, apontam dados dos extratos bancários que fazem parte da investigação contra o vereador. 

Os valores mantidos ali não foram declarados à Justiça Eleitoral quando Carlos se candidatou à reeleição na Câmara Municipal do Rio, em 2008, informa a reportagem do jornal Folha de S. Paulo. De acordo com o banco, os cofres particulares eram destinados à guarda de papéis, moedas, documentos ou joias.

A matéria informa que “a existência do cofre é indicada em extratos bancários entregues à Justiça de São Paulo pelo próprio vereador num processo em que pede indenização por prejuízos causados por uma corretora em investimentos na Bolsa de Valores.”

Ainda segundo a reportagem, “os documentos foram anexados à ação para comprovar as transferências realizadas à corretora. Estão nos autos os extratos de 14 dos 22 meses entre maio de 2007 e fevereiro de 2009. Em todos eles há referência à “tarifa de aluguel de cofre”, que custava mensalmente ao vereador R$ 115 até abril de 2008, quando foi reajustada para R$ 123.”

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email