Caso Bethlem: inquérito prestes a ser concluído

A Prefeitura do Rio informou que devem ser concluídas nas próximas semanas as investigações envolvendo os contratos assinados na gestão do deputado federal Rodrigo Bethlem (PMDB) frente à Secretaria Municipal de Assistência Social;  segundo gravações obtidas pela Justiça, o peemedebista declarou receber R$ 100 mil por mês, em razão de convênios da prefeitura com a ONG Tesloo, que realizava o cadastro de famílias em programas sociais

A Prefeitura do Rio informou que devem ser concluídas nas próximas semanas as investigações envolvendo os contratos assinados na gestão do deputado federal Rodrigo Bethlem (PMDB) frente à Secretaria Municipal de Assistência Social;  segundo gravações obtidas pela Justiça, o peemedebista declarou receber R$ 100 mil por mês, em razão de convênios da prefeitura com a ONG Tesloo, que realizava o cadastro de famílias em programas sociais
A Prefeitura do Rio informou que devem ser concluídas nas próximas semanas as investigações envolvendo os contratos assinados na gestão do deputado federal Rodrigo Bethlem (PMDB) frente à Secretaria Municipal de Assistência Social;  segundo gravações obtidas pela Justiça, o peemedebista declarou receber R$ 100 mil por mês, em razão de convênios da prefeitura com a ONG Tesloo, que realizava o cadastro de famílias em programas sociais (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 – A Prefeitura do Rio informou que devem ser concluídas nas próximas semanas as investigações envolvendo os contratos assinados na gestão do deputado federal Rodrigo Bethlem (PMDB) frente à Secretaria Municipal de Assistência Social.

As investigações tiveram início em julho deste ano. De acordo com denúncias, Bethlem recebia dinheiro da ONG Tesloo, que realizava o cadastro de famílias em programas sociais. Segundo gravações obtidas pela Justiça, o peemedebista declara receber R$ 100 mil por mês, em razão de convênios da prefeitura com a ONG.

Na Comissão de Ética da Câmara Federal o deputado foi inocentado. A Câmara de Vereadores da capital não aceitou abrir uma CPI para investigar as denúncias.

Em consequência das denúncias, o parlamentar não disputou a reeleição neste ano.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247