Cidadão contribui para melhor qualidade de vida

Treze ideias de cidadãos cariocas serão testadas pela prefeitura do Rio de Janeiro e poderão virar políticas públicas nos próximos meses; elas foram escolhidas entre 1.700 propostas inscritas em um um concurso da plataforma colaborativa Rio+, em que as pessoas puderam propor ideias para melhorar a vida na cidade

Treze ideias de cidadãos cariocas serão testadas pela prefeitura do Rio de Janeiro e poderão virar políticas públicas nos próximos meses; elas foram escolhidas entre 1.700 propostas inscritas em um um concurso da plataforma colaborativa Rio+, em que as pessoas puderam propor ideias para melhorar a vida na cidade
Treze ideias de cidadãos cariocas serão testadas pela prefeitura do Rio de Janeiro e poderão virar políticas públicas nos próximos meses; elas foram escolhidas entre 1.700 propostas inscritas em um um concurso da plataforma colaborativa Rio+, em que as pessoas puderam propor ideias para melhorar a vida na cidade (Foto: Leonardo Lucena)

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil

Treze ideias de cidadãos cariocas serão testadas pela prefeitura do Rio de Janeiro e poderão virar políticas públicas nos próximos meses. Elas foram escolhidas entre 1.700 propostas inscritas em um um concurso da plataforma colaborativa Rio+, em que as pessoas puderam propor ideias para melhorar a vida na cidade.

Segundo a prefeitura, que anunciou hoje (22) os vencedores do concurso, o objetivo da Rio+ é abrir mais um canal de diálogo com a população e reforçar a participação dos cidadãos na tomada de decisões na capital fluminense.

Entre as propostas vencedoras estão a transformação do Sambódromo em um espaço de lazer no período fora do carnaval, a criação de um polo de empreendedorismo nas comunidades carentes e a instalação, nas ruas, de telas interativas que informem os cidadãos sobre a melhor forma de se deslocar de um ponto a outro da cidade via transporte público.

O servidor da prefeitura Rodrigo Espinoza, por exemplo, propôs a criação de um botão a ser instalado em ônibus e metrôs, que aciona um alerta sonoro quando um idoso, pessoa com deficiência ou gestante não encontra lugar para se sentar. Além de constranger pessoas que estejam indevidamente sentadas em assentos preferenciais, o alerta poderá chamar a atenção de outras pessoas que, mesmo acomodada em assentos não preferenciais, possam ceder voluntariamente o lugar.

"A ideia do botão assento preferencial surgiu quando minha mulher estava grávida. Ela reclamava constantemente que as pessoas não cediam lugar a ela nos ônibus e no metrô. Quando soube do Rio+ achei que era uma oportunidade de sair da reclamação e agir. Infelizmente, acho que falta um pouco de educação e gentileza no dia a dia das pessoas", disse Espinoza.

Dentre as ideias selecionadas está também a de peneiras em bueiros para evitar o entupimento pelo acúmulo de lixo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247