CNJ decide nesta terça sobre processo disciplinar contra desembargador que humilhou guarda em SP

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) analisa, nesta terça-feira, três processos contra o desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, que foi flagrado em vídeo humilhando um guarda civil municipal em Santos, São Paulo. Eduardo é alvo de processos requeridos pela Corregedoria Nacional de Justiça e pela Associação de Guardas Municipais do Brasil

Cícero Hilário Roza, Roberto Guilhermino da Silva e Desembargador Eduardo Siqueira
Cícero Hilário Roza, Roberto Guilhermino da Silva e Desembargador Eduardo Siqueira (Foto: Susan Hortas/Prefeitura de Santos | Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) analisa, nesta terça-feira (25), três processos contra o desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, flagrado em gravação de vídeo humilhando um guarda civil municipal após solicitação verbal para uso de máscara de proteção em uma praia de Santos, no litoral de São Paulo. A informação é do portal G1. 

A 56ª sessão extraordinária será realizada a partir das 14h, por videoconferência, para decidir se o desembargador irá responder um processo administrativo disciplinar. 

Os três processos contra Eduardo foram requeridos pela Corregedoria Nacional de Justiça e pela Associação de Guardas Municipais do Brasil, acrescenta a reportagem.

O corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, vai apresentar relatório e voto nos processos, sendo acompanhado pelos demais conselheiros que podem concordar ou não com o parecer. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email